Grupo folclórico de S. Pedro Fins (Maia) criou associação

0
298
Grupo Folclórico Infanto-juvenil S. Pedro Fins
- Publicidade -

De pequenino se torce o pepino, diz o ditado popular. No Grupo Folclórico Infanto-juvenil de S. Pedro Fins, concelho da Maia, é essa a realidade. Começam a dançar a partir dos 2 anos. Agora, o grupo tornou-se numa associação formal.

O Grupo Folclórico Infanto-juvenil de S. Pedro Fins, Maia, que existia de forma informal e ligado à Junta de Freguesia, já formalizou a sua existência como associação. Foi constituída este mês a associação sem fins lucrativos com a designação de Núcleo Folclórico Infanto-juvenil de São Pedro Fins, que integra o grupo e poderá contemplar novas valências, como a tão sonhada escola de música.

 

Tiago Costa é o presidente da Direção do Núcleo, cujos corpos diretivos deverão tomar posse em breve. A associação passa a ter existência formal e, desta forma, torna-se uma entidade independente da Junta de Freguesia de S. Pedro Fins, que continua a apoiar a jovem associação.

 

De acordo com Tiago Costa, esta associação pretende “ser uma mais-valia e não um apêndice da Junta”, ganhando uma dimensão legal que a habilita a candidatar-se a apoios financeiros do executivo da Junta e da Câmara da Maia ou até de entidades nacionais, como o INATEL.

 

A associação pretende continuar a dinamizar o grupo infanto-juvenil, com crianças e jovens entre os 2 e os 16 anos. Os estatutos permitem que os jovens dancem no grupo folclórico até aos 18 anos, depois terão que encontrar novas funções na associação.

Esta nova associação estatutariamente irá promover: “acultura regional através de ações culturais e recreativas e ainda a recuperação e preservação de tradições locais, através do Folclore e Etnografia da região; a divulgação, a fruição, o desenvolvimento, a criação, a experimentação, o estudo, bem como o conhecimento e ensino de várias áreas artísticas, designadamente, música, teatro, dança, artes performativas, e cruzamentos disciplinares; a interseção e a confluência das diferentes áreas, visando a exploração de novas linguagens”.

Tiago Costa referiu que uma das primeiras áreas a abrir será a escola de música com a introdução ao ensino do acordeão.

Os ensaios do grupo infanto-juvenil continuam a decorrer em espaço cedido pela Jujnta de Freguesia de S. Pedro Fins, designadamente no seu auditório, às sextas-feiras, às 21h00.

A funcionar desde 2017, o grupo folclórico viu-se obrigado a interromper a sua atividade presencial durante um ano devido à pandemia. Mas, aidna assim, “várias foram as ações que realizamos em prol do bem-estar das pessoas da nossa freguesia. Destacamos a recolha de alimentos, que serviram para a oferta de mais de 20 cabazes a famílias carenciadas. Regressamos agora aos nossos ensaios, cumprindo todas as normas de segurança, emanadas pela DGS, e revistas pela autoridade de saúde da Maia”, refere Tiago Costa.

 

- Publicidade -