João Pedro Ramos expressa-se perante os maiatos

0
408
João Pedro Ramos expressa-se perante os maiatos
- Publicidade -

O Fórum Jovem da Maia recebe até 10 de dezembro a mostra “Express Yourself”, com desenhos da autoria do jovem artista João Pedro Ramos, numa organização do Pelouro da Juventude da Câmara Municipal da Maia.

João Pedro Ramos nasceu em 1993 na Maia, onde sempre viveu. Desde cedo que começou a revelar interesse pela arte. Mesmo tendo o Curso de Informática de Gestão, nunca deixou a sua paixão, e, após um acidente que o deixou sem mobilidade, o desenho foi o seu único refúgio. Desde então nunca mais parou.
Encontram-se em exposição, desde o dia 26 de novembro, trabalhos através dos quais o artista dá a conhecer um pouco da sua visão sobre o mundo naquela que é a sua primeira mostra pública.

Ao Primeira Mão, João Pedro Ramos referiu que o seu material preferido para trabalhar é a caneta permanente, porém usa “de tudo um pouco, desde a grafite ao carvão, do pastel de óleo ao lápis de cor. Gosto de brincar um pouco com isso e de ir arriscando e experimentando coisas novas”.

A natureza no centro

A temática nos seus trabalho gira em torno de animais e retratos, porque é um amante da natureza, “há algo nos animais que me cativa e tentar prender a sua expressão no papel é tudo menos fácil”. O mesmo se passa com os retratos, que exigem “uma tremenda concentração”. João Pedro Ramos pensa que terá “apresentado bons resultados nesta minha primeira exposição”.

Tendo já trabalhado “indiretamente” com as pessoas do Fórum Jovem da Maia em exposições anteriores, não foi difícil levar este projeto para a frente com esta equipa do Fórum, referiu o autor, que nos recorda que “sempre” desenhou, influenciado por uma prima. Ainda se lembra de quando era pequenino de desenhar carros, mas à medida que foi crescendo foi-se apaixonando pelo desporto, mais concretamente pelo futebol americano, “que fez e faz, grande parte da minha vida.

Infelizmente no meu terceiro ano como jogador sofri uma lesão que me deixou parado 8 meses. Sem andar, correr, saltar, tudo o que me fazia feliz. Tive de pegar em algo que me fizesse abstrair daquilo”. Foi então que João voltou a fazer “um risco aqui, outro ali…e desde aí não fui mais o mesmo”.

Um dia, serei grande

Com uma primeira exposição o jovem espera percorrer novos caminhos no mundo da arte, que o conduzam o “mais longo possível”, estando certo que, “demore muito ou pouco”, o mais importante “é não desistir”. João sublinha que “nada vem sem esforço e dedicação, nada nos é oferecido, estou aqui para lutar contra todos os percalços que apareçam pelo caminho e aprendendo com os erros que vou cometendo. Um dia, serei grande”.

Como artista apresentou-se na Maia, por ser a sua cidade e onde gosta “de estar”. Entendeu que “não podia expandir mais horizontes sem primeiro ganhar o apoio da minha comunidade (que foi excelente para a realização desta exposição). Hoje a Maia, amanhã o Porto. Depois quem sabe…está tudo em aberto”, conclui o jovem artista.

- Publicidade -