Leça do Balio pronta para receber os Hospitalários

1
216

Já está em marcha a quinta edição da Feira Medieval “Os Hospitalários no Caminho de Santiago”, que acontece no Mosteiro de Leça do Balio, entre os dias 9 e 12 de Setembro. Mais uma vez, são esperadas cerca de 200 mil pessoas durante os quatro dias da recriação histórica que não é apenas mais uma feira, mas sim “uma aula em ponto grande”, nas palavras do vereador da cultura da Câmara Municipal de Matosinhos, Fernando Rocha.

Muito se passou em cinco anos de feira, depois da fase embrionária do ano zero. A feira foi crescendo até se encontrar nos moldes actuais, que Fernando Rocha entende ser “o ideal”. Depois do crescimento, vem o aperfeiçoamento. E agora a palavra de ordem é “rigor”. “Rigor no número de feirantes, de artesãos e de tasquinhas” e, é claro, rigor histórico à volta do milenar mosteiro matosinhense que, de resto, vive paredes-meias com a cidade da Maia e também faz parte dos Caminhos de Santiago, que é a grande aposta para este ano. “Este ano há maior enfoque nesse ponto, atendendo que estamos a viver no ano do Jacobeu e portanto há uma maior atractividade para os Caminhos de Santiago”, lembra o autarca responsável pela pasta da cultura.

Em Portugal há um “ranking” que classifica feiras deste género, e a de Leça do Balio ocupa a terceira posição. Para Fernando Rocha, esse facto é “gratificante”, mas acrescenta que a organização “não está a lutar por pódio nenhum” num país onde “há 150 feiras medievais”, recorda o vereador matosinhense. A “luta” da feira de Leça do Balio comporta uma “batalha” diferente: “Nós lutamos por fazer uma feira medieval onde se possa contar um pouco a história do mosteiro, a história dos hospitalários no Caminho de Santiago, e mostrar como se vivia naquela época”, afirma Fernando Rocha.

Mesmo assim, é o primeiro ano que a feira conta com um patrocinador. E se no passado o executivo da Câmara Municipal de Matosinhos tinha “de andar a pedir” aos artesãos para irem à feira, hoje a procura é superior à oferta. Em lista de candidaturas para ocupar um espaço junto ao mosteiro estavam 400 feirantes, que tiveram de passar por um processo de selecção. Mais de metade ficaram de fora. Embora o vereador considere “desagradável” a “rejeição” de alguns comerciantes, estes números provam o “grande sucesso” da feira a nível nacional.

Um dos pontos altos da Feira Medieval de Leça do Balio é a recriação histórica do casamento de Dom Fernando com Dona Leonor, que vai acontecer domingo, dia 12, no largo do mosteiro. Acontecimento que, revela o vereador, “muita gente desconhecia. Não faziam ideia que naquele espaço tinha havido um casamento real”. É a vertente didáctica do certame, que permite aos visitantes aprender a história do espaço que faz parte do Caminho de Santiago por Terras de Bouças e Couto de Leça. Para Fernando Rocha, “é a melhor aula que se pode dar em termos genéricos”.

E para preparar a “aula” em ponto gigante, há muito que tem de ser feito ao longo do ano para que tudo esteja a postos e também para receber os quase 200 artesãos, as 14 associações locais, as oito recriações históricas, as 240 acções de animação, as 14 tabernas, os 164 animadores e os cinco concertos. São os números da quinta edição dos “Hospitalários nos Caminhos de Santiago” que este ano apresenta como novidade a componente científica, ou seja, adopta também uma vertente lúdica e científica.

Em paralelo com a feira, vai ser organizada uma conferência dedicada aos Caminhos de Santiago, várias exposições e visitas guiadas ao mosteiro de Leça do Balio. O extenso programa do certame pode ser consultado no sítio da internet da Câmara Municipal de Matosinhos.
Pedro Póvoas

1 COMENTÁRIO

  1. É Lindo,lindo… é uma feira a não perder…é como um regresso ao passado. Não pdem deixar de lá ir, este ano lá estarei com a minha família, sem falta…:)

Comments are closed.