“Ler para Entender” revela estratégias de motivação

0
159

A Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho aceitou o desafio da Trampolim Edições e vai promover mais uma acção de formação designada “Ler para entender – Língua Portuguesa e Formação de Leitores”. É no dia 30 de Janeiro, a partir das 9h00 e até às 12h30, tendo como palco o pequeno auditório do Fórum da Maia. A logística e a formação ficaram a cargo da biblioteca, cabendo à editora preparar os conteúdos.

A iniciativa encaixa-se em dois dos objectivos prioritários da biblioteca maiata: a formação ao longo da vida e a formação de públicos. Isto porque, além de professores e educadores, a acção de formação é também direccionada a bibliotecários, animadores sócio-culturais, técnicos de educação e até pais e alunos das escolas superiores de educação. Em particular, lê-se na nota sobre o evento na página da editora, para aqueles “que contestam atitudes impeditivas da capacidade imaginativa da criança”. É exactamente sobre a imaginação que versa esta actividade, por considerarem os promotores que “o espaço da imaginação é o espaço da excelência” quando se fala da aprendizagem das crianças.

A acção de formação “Ler para Entender” será ministrada por cinco autores formadores trazidos pela Trampolim Edições. São eles Gisela Silva, Teresa Macedo, Rita Simões, Américo Lindeza Diogo e Fernando Azevedo. Vão desafiar os participantes a reflectirem e dialogar sobre as “necessidades que, hoje, o ensino / aprendizagem da língua impõe na formação de leitores reflexivos e competentes”. Nesse sentido, serão abordadas as estratégias a adoptar, citando os “imensos casos práticos” de forma a motivar os mais pequenos para a leitura, adianta a coordenadora da Biblioteca Municipal Dr. José Vieira de Carvalho, Suzana Sousa e Silva. E embora admitindo que as actividades são variadas, adverte que o objectivo só será alcançado se a estratégia de cada um for “complementar”:

[audio:LEITURA_SUZANA.mp3]

Em suma, a acção de formação será “o partilhar de experiências de leituras realizadas no terreno, sejam por pais, professores ou bibliotecários, e a sistematização de como as coisas resultaram bem”, acrescenta.

Neste resultado encaixa-se a motivação para a leitura, mas a experiência não fica por aqui. O facto de encontrarem na leitura um prazer, não significa que o vejam da mesma forma, até porque a interpretação é também um resultado das próprias vivências pessoais. Conclui Suzana Sousa e Silva que “cada leitor é um Mundo e vai reinterpretar, vai reler, vai dar vida à obra que leu e vai construir a sua própria formação, o seu próprio saber”.

Com um custo de 25,00 – o valor do livro “Ler para entender” em que assenta a formação e que é entregue no dia da acção – as inscrições para esta acção de formação podem apenas ser feitas através da Internet, seja a partir da página da Trampolim Edições – ou do site www.ifeventos.com/trampolim/.

Antes da Maia, esta acção de formação “Ler para Entender” já passou pela Biblioteca Camilo Castelo Branco (Vila Nova de Famalicão), pelo Auditório Municipal / Casa da Juventude da Póvoa de Varzim e pela Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (Braga). Segue-se o Centro de Congressos de Aveiro (20 de Fevereiro) e pela Casa da Cultura da Trofa (8 de Maio).

Marta Costa