Maia ao Palco e Primavera do Teatro fazem março cultural na Maia

0
332
- Publicidade -

O teatro amador volta a assumir destaque na Maia de 21 a 27 de março com mais um “Maia ao Palco”.

Um total de nove peças de teatro, a apresentação de um livro, animação de leitura, hora do conto e ainda sessões de cinema, compõem o programa desta 12ª edição da Primavera do Teatro – Comemorações do Dia Mundial do Teatro – que integrará, como é habitual, o festival “Maia ao Palco – X Mostra de Teatro de Amadores da Maia”.

No dia 21, às 21h30, será apresentada no Grande Auditório do Fórum da Maia, o espetáculo “A birra do morto” pela Escola Dramática e Musical de Milheirós.

«Toda a gente embirra… Até os mortos. A Birra do Morto é uma comédia e tem muito de real, pois retrata os medos e receios do ser humano perante a morte».

O autor é Vicente Sanche, sendo intérpretes: Emília Esperança, Jorge Fachada, Joana Enes, Rute Rocha, Isabel Cruz, Eva Pinheiro, Fernanda Leitão, Soraia Sousa, Maria Dias e Joaquim Mendes.

Dia 22, às 21h30, também no Grande Auditório do Fórum da Maia, sobe ao palco a peça “O Dia Seguinte” pela Academia de Teatro.
Publicada em 1954, no volume coletivo Encontro, a peça “O Dia Seguinte” foi reeditada no primeiro volume de Teatro do autor em 1959, vindo a ser objeto de várias traduções e sucessivas representações no estrangeiro. A sua estreia no Teatro Nacional, em 1952, foi proibida pela censura, sendo representada apenas em 1963, depois de ter sido levada à cena em Paris, em Espanha, no Brasil, na Bélgica e em Israel.

O autor é Luiz Francisco Rebello e interpretam: Ana Paula Silva, Manuela Styliano Costa, Rui Melo, Ismael Gomes, Ana Gigante, Sandra Soares, Eurico Ferreira, Marta Pereira, Sofia Pereira.

A 23 de março, às 21h30, apresenta-se “A Doente Imaginária” pelo Grupo de Teatro do ICM – Instituto Cultural da Maia, no Grande Auditório do Fórum da Maia .

A história é de Molière e conta os dissabores de Argan, «terrivelmente hipocondríaco e quer casar a sua filha mais velha, Angélique, com um médico, apenas para suprir os anseios e angustias das suas doenças imaginarias».

Interpretação: Adriano Santos, Cândida Correia, Conceição Silva, Filomena Guedes, Iolanda Carvalho, Isabel Brito, José Carlos Salgado, Maria de Jesus, Noémia Lavandeira.

O espetáculo que sobe ao palco do Grande Auditório do Fórum da Maia a 24 de março, às 16h00, é “Um Café e uma Data” pelo Grupo de Teatro da Escola EB 2,3 de Gueifães (GTEEB23G).

«Uma viagem cómica e musical pelas datas mais insignificantes da história da humanidade».

O autor é Carlos Alberto Frazão e são intérpretes: Teresa Silva, Ana Beatriz Martins, Leonor Gonçalves, Mariana Gonçalves, Sara Pereira, Pedro Sequeira, Isabel Correia, João Pedro Silva, Tiago Moreira, Mariana Magalhães, Rodrigo Pedra, Inês Lopes, David Faria, Beatriz Silva, Tiago Costa, Ricardo Anselmo.

No mesmo dia, 24, mas às 21h30, o Grande Auditório do Fórum da Maia acolhe mais uma peça de Carlos Alberto Frazão, intitulada “A avó fazia 100 anos”, pelo grupo Pé no Charco, da Junta de Freguesia Cidade da Maia.

«No dia em que se assinalassem os cem anos do nascimento da avó, todos teriam de proferir um elogio fúnebre para se candidatarem à herança que, supostamente, constaria do seu testamento. Numa desregulada reunião duma família disfuncional, os desabafos e as inconfidências sucedem-se e deixam a nu as fragilidades e os traumas acumulados ao longo do tempo em que conviveram com a avó».

Interpretação: Elza Martins, Fernanda Costa,Inês Pascoal, Daniel Gavina, João Pedro Figueiredo, José Pimenta.

Para a tarde (16h00) de domingo, dia 25 de março, no Grande Auditório do Fórum da Maia, está reservada a peça de Teatro Popular “Ricas Viúvas”, pela Secção Cultural José Lopes, da Associação Clube Desportivo José Lopes.

O Teatro Popular “Ricas Viúvas” desenrola-se num largo com um quadro da Ana Rosa, à porta da Tasca da personagem falecida. Esta comédia centra-se em três personagens principais: o viúvo de Ana Rosa, o Hilário, a empregada Tina e a sua filha Gabriela, que procuram o dinheiro que a viúva escondeu para subirem na vida.

Autor e Encenação: António Oliveira. Intérpretes: António Oliveira, Carla Lopes, Mariana Cardoso, Joana Oliveira, Luz Garcia, Filomena Gonçalves, Elisabete Pinto, Maria João Dias, Adriana Pinto, Nicole Garcia, Leonor Pinto e Amélia Bastos.

A partir das 19h00, no mesmo local, apresenta-se a peça “Capitães de Abril” pelo Grupo de Teatro Sancti Martini, da Associação JB – Juventude Barcarense.

«Esta peça conta-nos como é que três capitães das forças armadas tiveram a iniciativa de provocar uma revolução no nosso país. Sabem porque se chama a revolução dos cravos? E precisamente o porquê de ter sido no dia 25 de Abril? Essas e muitas outras peripécias o Grupo de Teatro Sancti Martini da Associação JB, apresenta nesta edição».
Autor: Comédia a la Carte. Interpretação: Daniel Monteiro, Bruno Cunha, Romeu Correia.

A 26 de março, pelas 21h00, há “Ensaio Aberto – Oficina de Teatro da Maia” coordenado pelo Teatro Art´Imagem, no Auditório da Quinta da Caverneira.
A Oficina de Teatro da Maia é uma iniciativa da Câmara Municipal da Maia em colaboração com o Teatro Art´Imagem.

O espetáculo é gratuito e este ensaio aberto pretende nas Comemorações do Dia Mundial do Teatro dar a conhecer o trabalho que os formandos da Oficina de Teatro da Maia têm vindo a desenvolver neste ano.

A seguir, pelas 22h30, no mesmo local, o Art’Imagem apresenta a “Leitura da Mensagem do Dia Mundial do Teatro”.

Para o dia 27, Dia Internacional do Teatro, está agendado para as 18h00, na Quinta da Caverneira, uma hora com as “Férias no Palco” e “Leitura da Mensagem do Dia Mundial do Teatro”, pelo Teatro Art´Imagem.

Esta hora de Férias no Palco pretende nas Comemorações do Dia Mundial do Teatro partilha um momento de expressão dramática entre formandos e os participantes, bem como visitantes.

A iniciativa conta com duas sessões de cinema português. No dia 26, às 15h00, pode ser visto o filme “Julgamento”, de Leonel Vieira. No dia 27, às 15h00, é exibido o filme “The Lovebirds” de Bruno Almeida. As duas sessões são no Auditório da Quinta da Caverneira.

A Primavera do Teatro integra também a apresentação do livro “O Teatro no Porto no Período entre Guerras”, de Joana Miguel, às 18h30 do dia 22 de março, na Biblioteca Municipal Doutor José Vieira de Carvalho.

E no âmbito do Maia ao Palco, realiza-se ainda a animação de leitura “Histórias contadas pelos nossos avós”, na Biblioteca Municipal, dia 24, às 11h30, e ainda às 12h00, a Hora do Conto, com “A Maior Flor e Outras Histórias Segundo José” de José Saramago.

- Publicidade -