Mês da Arquitetura da Maia propõe reflexão em torno de 17 projetos marcantes

0
426
Mês da Arquitetura da Maia
- Publicidade -

No contexto da recente celebração dos 500 anos do Foral da Maia, o Mês da Arquitetura da Maia 2021 propõe uma narrativa, entre muitas possíveis, da construção da cidade da Maia e do seu centro.

Em foco na exposição do Fórum da Maia estarão 17 projetos que marcaram a construção da Maia. Em causa uma leitura da construção do centro da cidade da Maia a partir das arquiteturas e do discurso dos seus arquitetos.
 

De acordo com a organização, «trata-se de uma visão configurada através de um conjunto de obras de arquitetura que, em si próprias, e através das relações que estabelecem com a cidade, são capazes de explicar ou, pelo menos, testemunhar, alguns dos principais processos da transformação urbana ocorrida, em particular, nos últimos sessenta anos.

Privilegia-se a diversidade de formas arquitetónicas e de programas, de escalas e de sistemas construtivos, mostrando a complexidade da disciplina da arquitetura e da sua prática.

Para além da arte, da técnica, dos desenhos, do virtuosismo dos autores e da obra realizada, esta exposição pretende evidenciar o processo do “fazer arquitetura” – o imenso e extraordinário labor dos que a criam e constroem, umas vezes com maior atenção mediática, outras no silêncio do anonimato. Em contínua mutação, a cidade é feita de milhões de vidas, ações, decisões, formas, materiais e vontades.»

A apresentação da edição deste ano do Mês da Arquitetura da Maia refere que há neste fórum «uma tentativa de compreender melhor a Maia, deixando um registo para o futuro e um contributo para o discurso que cada um possa fazer da cidade que está diante de nós, e que, muitas vezes, passa despercebida».

O Mês da Arquitetura da Maia é uma iniciativa da Câmara Municipal da Maia, promovida pelo Pelouro da Cultura, gerido por Mário Nuno Neves.
Assumem o comissariado do evento Nuno Antunes Lopes, arquiteto maiato licenciado e mestre pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP), responsável pela Unidade de Gestão de Projetos e Reabilitação Urbana da Espaço Municipal – Renovação Urbana e Gestão do Património, E.M., S.A., e Sérgio Filipe Pinto Amorim, arquiteto licenciado pela FAUP e doutorado pela Universidade Lusíada do Porto, professor universitário e investigador do CITAD e do CEAU.

O design gráfico é da autoria de Miguel Brugo Rocha.

No Fórum da Maia, a entrada na mostra é gratuita: de terça a domingo das 10h às 22h.

- Publicidade -