Os Fontineiros da Maia festejaram os 60 anos

0
157

A Associação Cultural e Recreativa (ACR) Os Fontineiros da Maia assinalou o seu 60º aniversário. A cerimónia juntou alguns dos amigos e sócios, no auditório dos Fontineiros. Antes, a associação quis homenagear os sócios já falecidos, com uma missa e romagem ao cemitério. No auditório, a sessão solene foi antecedida da actuação da Banda Marcial de Gueifães.
Uma cerimónia onde, por várias vezes, foi referida a palavra “solidariedade” num apelo à necessidade de um maior esforço em ajudar quem mais precisa, em tempos de crise. Foram ainda lembrados os presidentes que passaram pela associação ao longo dos 60 anos. Foram seis, mas foi Alfredo Soares Moreira que mais tempo esteve como presidente, cerca de 40 anos, no total.

José Manuel Sampaio, actual presidente da direcção dos Fontineiros, recordou ainda o grupo de amigos que, em 1951, decidiu juntar os “rapazes e raparigas” da terra para “abrilhantarem” a inauguração de uns fontanários e lavadouros ao longo da Rua do Mosteiro, em Águas Santas. E assim começava a história da ACR Os Fontineiros da Maia. “Passaram 60 anos. Foram anos de alegria, com momentos de tristeza e algumas desilusões. Mas também foram anos de união, de partilha e de convívio entre aqueles que acreditaram e ainda acreditam no associativismo como uma forma de vivência”, sublinhou José Manuel Sampaio. O dirigente aproveitou ainda para homenagear os homens e mulheres que “tudo deram, fizeram e ainda fazem” pelos Fontineiros.

Bragança Fernandes, presidente da Câmara da Maia, reconheceu o trabalho da associação, e manifestou a disponibilidade da autarquia para ajudar a colectividade. Nomeadamente, na melhoria das condições do auditório, que serve ainda de local de ensaio do grupo de folclore. “Se calhar, até ao final do meu mandato isto vai estar concluído. Podes contar com esse apoio, embora as receitas da câmara tenham diminuído. Só nos primeiros quatro meses deste ano, recebemos menos três milhões de euros em relação ao ano passado”, referiu. “E com o plano da Troika, em que vamos sofrer mais um corte de 10 por cento, vamos ter ainda menos receitas para ajudar quem mais precisa”, acrescentou Bragança Fernandes, presidente da Câmara da Maia, durante a sessão solene do 60º aniversário da ACR Os Fontineiros da Maia.

Fernanda Alves