“Nem todos os heróis usam capa”

0
344
- Publicidade -

De 6 a 13 de maio decorrerá na Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha uma exposição fotográfica sobre o quotidiano do Centro de Acolhimento A Causa da Criança, organizada por duas estagiárias de Educação Social da Escola Superior de Educação (ESE/IPP).

Sob o título “Nem todos os heróis usam capa”, a mostra, que é inaugurada às 15h00 do dia 6, insere-se no projeto que as duas jovens, Marina Pinto e Alda Gomes, estão a desenvolver naquela instituição que acolhe crianças em risco.

Quando começaram o projeto pensavam que iam trabalhar com as crianças, mas foi-lhes proposto outro desafio, o de trabalharem com as auxiliares educativas, devido a toda a envolvência que estas funcionárias têm com as crianças e que lhes provoca um elevado “desgaste físico e emocional”. Assim, as duas finalistas consideraram interessante criar um gabinete de terapias, seguindo uma tendência de empresas multinacionais, que criam este género de equipamentos para melhorar a produtividade dos seus colaboradores.

Gabinete de terapias

O gabinete foi montado numa sala que funcionava como despensa de brinquedos e houve que começar do nada, como lembrou Alda Gomes, procurando criar um espaço diferente, onde se procura estimular a calma e o bem-estar das auxiliares de educação.

A jovem estudante lembra que estas funcionárias “trabalham por turnos, pegam nas crianças ao colo e mudam fraldas, andam muito tempo a pé, para além de passarem por um desgaste emocional elevado quando têm que se despedir das crianças, que são entregues às famílias de origem ou para adoção, depois da estadia na Casa. Não podemos esquecer que estas crianças são retiradas às famílias e vêm para cá fragilizadas, sendo estas auxiliares que dão carinho a estes menores, pelo que também sofrem quando chega a hora da separação”.

Formação em primeiros socorros e artes manuais

O gabinete de terapias foi a primeira ação do projeto “Cuidar de quem cuida”. Seguiu-se outra necessidade apontada pelas auxiliares – ter formação em primeiros socorros. Foi então desenvolvida uma ação de formação com uma enfermeira voluntária e que decorre em duas fases: 4 e 11 de maio.
Entretanto, “também nos disseram que havia necessidade de terem uma formação em artes manuais. Pelo que já organizamos uma nova ação de formação com outra voluntária credenciada e que decorre já esta sexta-feira”, adiantou a jovem finalista. A formação profissional constitui o segundo eixo do projeto das jovens.

Exposição na Junta de Vila Nova da Telha

Num terceiro eixo, surge a exposição. Dado que as auxiliares transmitiram às estagiárias que “gostavam que as pessoas tivessem noção do trabalho que é feito com crianças, que estão neste contexto da instituição de acolhimento”, as jovens estudantes pensaram em organizar uma exposição fotográfica, que iria retratar o trabalho ao longo dos oito meses de estágio.

“Ao longo deste tempo fomos fotografando diariamente o trabalho delas, desde a rotina do acordar, os banhos, o deitar, até aquilo que vai mais além, isto é, as lágrimas, os colos, os sorrisos, as brincadeiras. Também era preciso mostrar estes sentimentos, para que toda a gente fique a conhecer este trabalho, quer a população da freguesia, quer as famílias das quais são originárias as crianças, para que, através destas fotos, possam ver onde residem algumas das suas falhas familiares”, referiu Alda Gomes.

Angélica Santos

- Publicidade -