Rancho Folclórico de S. Cosme de Gemunde tem nova direcção

0
182

António Teixeira é o novo presidente da direcção da Associação Recreativa e Rancho Folclórico de S. Cosme de Gemunde. A tomada de posse dos novos corpos gerentes para o biénio de 2009/2010 decorreu no passado dia 16, numa cerimónia em que foi prestada homenagem ao anterior presidente, Joaquim Nogueira Pires. Foi eleito presidente honorário da associação. Esteve durante 18 anos no lugar de presidente e esteve ainda dois anos na presidência do Conselho Fiscal. “Foi um homem que trabalhou e lutou sempre por aquilo, e por isso, achamos que era justo que fizéssemos alguma coisa por ele”, sublinhou o novo presidente, António Teixeira.

É a primeira vez que assume o cargo de presidente da direcção. Durante duas décadas, teve a seu cargo as contas da associação, como tesoureiro. Agora, decidiu aceitar este novo desafio, “porque o presidente que estava já estava um bocadinho cansado, tinha já 74 anos. Vamos ver se conseguimos fazer mais alguma coisa”, referiu.

Os últimos anos não foram fáceis. Depois da associação ter estado um pouco ao “abandono”, foi necessário trabalhar bastante para o “crescimento” e para conseguir que esta se federasse. “Lutamos por recuperar o grupo e melhorá-lo muito. Parece que agora estamos no bom caminho”, sublinhou António Teixeira.

Nos próximos dois anos, o dirigente pretende dar continuidade ao trabalho que tem vindo a ser realizado nos últimos anos, nomeadamente, fazer com que o grupo “cresça ainda mais” e “oferecer uma festa de grande às bodas de ouro”. Os 50 anos do rancho vão ser assinalados a 26 de Junho de 2010, precisamente na data do seu nascimento.

Actualmente, fazem parte do rancho folclórico cerca de 40 elementos que um pouco por todo o país têm como missão dar a conhecer algumas das tradições maiatas e da freguesia de Gemunde. Nas suas apresentações o grupo procura mostrar algo mais, porque diz António Teixeira, “o folclore não é só danças e cantares”.

A missão do grupo passa também por representar alguns dos hábitos culturais e recreativos das Terras da Maia. Depois de algumas experiências, o grupo vai apresentar em Ovar “uma ida para a romaria”. No caso da freguesia de Gemunde eram as romarias da Campa do Preto e de Santa Eufémia que mobilizavam as gentes da terra. O grupo vai representar uma ida à romaria da Campa do Preto, mostrando como as pessoas se vestiam e divertiam com os jogos tradicionais.

Para o ano de 2009 o grupo tem já 15 saídas marcadas, a maior parte entre os meses de Junho e Setembro. “Posso dizer-lhe que nos meses de Julho e Agosto não temos um único fim-de-semana livre. Está tudo ocupado”, diz. Há dois anos, o grupo teve ainda a oportunidade de se deslocar a Paris para participar num festival de folclore.

O objectivo da associação passa ainda por captar mais jovens para o grupo de folclore, de forma a garantir a sua continuidade. Um trabalho que nem sempre é fácil. “Hoje é um problema ter pessoal para o grupo. Quase sempre são os filhos daqueles que andam lá que acabam por ficar”, adianta.

Fernanda Alves