Semana Aberta no Instituto Cultural da Maia (vídeo)

0
186


Hoje é o último dia da Semana Aberta do Instituto Cultural da Maia (ICM). A universidade sénior maiata abriu as portas desta semana especial na passada segunda-feira, com um concerto de canto lírico pelo barítono Pedro Teles, acompanhado pelo maestro Jairo Grossi. O palco foi “montado” nas novas instalações do ICM na Rua Dr. Augusto Martins, que foram recentemente remodeladas.

As iniciativas, levadas a cabo pelo conselho pedagógico do ICM, têm como objectivo aproveitar a pausa pascal no plano de estudos da universidade sénior. O objectivo passa por “mostrar aquilo que tem sido feito não só aos alunos que frequentam a universidade mas sim também abrir os trabalhos à comunidade”, revelou o presidente do ICM, José Eduardo Macedo. Antes do momento musical e solene, houve também um workshop de pintura orientado pelo professor António Pato.

É a primeira vez que a actual direcção, eleita a 29 de Julho do ano passado, leva a cabo uma semana aberta. “Mais não significa do que abertura do estado de espírito e da alma do instituto, que quer combater a solidão e proporcionar qualidade de vida a todos”, avançou José Eduardo Macedo, que sublinhou também não serem necessários “requisitos prévios para a admissão na universidade sénior” e que a mesma se encontra “aberta a toda a população”.

A semana aberta é a mostra do que se pode fazer no ICM. A universidade sénior conta, neste momento, com mais de 200 alunos, que já terminaram a vida activa e que, por vezes, se vêem com mais tempo livre disponível. José Eduardo Macedo disse que a frequência do ICM é uma forma de “os mais ‘maduros’ poderem fazer coisas que não tiveram oportunidade de fazer durante a vida activa”. O número de alunos é elevado e continua a crescer, facto que enche de satisfação o actual presidente. “Ficamos felizes, principalmente quando todos os que aqui estão também se sentem donos do ICM. Cada um contribui e cada um dá um pouco de si. Aqui constrói-se uma família e criam-se laços de amizade”.

Estamos a sair da Páscoa, mas já há mais planos na calha para novas actividades do ICM. O presidente do instituto, José Eduardo Macedo, revelou que tudo está a ser feito para levar o que é feito no centro da Maia a outras localidades, como é o caso de Pedrouços e Águas Santas, mais distantes da sede do ICM, “que não nos conhecem e assim passam a conhecer a nossa actividade”.

Pedro Póvoas