Três amigos “Na Desportiva”

0
421
Rúben Araújo, André Amaral e Diogo Resende (foto cedida por 'Na Desportiva')
- Publicidade -

Na Desportiva” é um canal digital criado por três jovens maiatos, de VN Telha. Um projeto nascido durante a pandemia e produzido por Rúben Araújo, Diogo Resende e André Amaral.

Rúben Araújo e Diogo Resende são dois jovens maiatos, amigos e com caminhos bastante similares. Partilham uma paixão pelo desporto, mais especificamente pelo futebol, que já praticam desde bastante cedo no Futebol Clube de Pedras Rubras, na Maia. Numa fase mais avançada, ambos ingressaram em Psicologia na Universidade Católica Portuguesa do Porto e, hoje, são detentores da própria marca registada “Na Desportiva”, que se desenvolve num projeto que agrega o melhor dos dois mundos.

O terceiro elemento do grupo não pôde estar presente na entrevista, mas chama-se André Amaral e conduz todo o processo audiovisual do projeto. André, à semelhança de Diogo e Rúben, também é amante de futebol mas escolheu um caminho académico diferente do dos colegas e licenciou-se em Cinema e Audiovisual, na Escola Superior Artística do Porto.

“Na Desportiva” pretende promover a Psicologia do Desporto e envolve entrevistas a profissionais de referência no desporto português. Desde o mês de novembro de 2020, com periodicidade mensal, foram publicados 5 episódios com Iury Leal, Carlos Resende, Miguel Queiroz e Hélder Nunes. A entrevista do mês de abril será com a Dra. Ana Bispo Ramires, que atualmente integra a Direção de Medicina do Comité Olímpico de Portugal, na especialidade de Psicologia.

Ideia nasce da paixão pelo Desporto e pela Psicologia

Diogo Resende, mestre em psicologia da educação, começa por confessar que em conjunto com Rúben partilha “uma grande paixão pelo desporto e pela psicologia”. Aproveitando a fase da pandemia, decidiram explorar o que “pessoas do mundo do desporto pensam da psicologia, dos psicólogos e da utilidade da psicologia para a sua função”.

Rúben Araújo, que neste momento está a realizar o mestrado em Psicologia Clínica, acrescenta que numa fase de incerteza decidiram “pôr mãos à obra e ouvir a experiência de pessoas que andam no terreno”. O jovem explica que “não há melhor forma de conhecer o contexto e a forma como as coisas se operacionalizam, senão com pessoas que têm largos anos de experiência”.

“É nesse contexto que surge o projeto ‘Na Desportiva’”, explica, “não sem rigor, mas de forma descontraída”.

Apesar do projeto ser “meramente pessoal”, os jovens manifestam que no início tentaram estabelecer uma “relação com a faculdade, porque não tínhamos as condições físicas para colocar o plano em prática”. No entanto, devido à pandemia, a instituição académica não pôde ceder-lhes o espaço pretendido para a realização das entrevistas. Não obstante, Rúben Araújo afirma que a universidade foi “ajudando e guiando no que fosse preciso”.

Jovens construíram o próprio estúdio numa cave

A ideia do canal começa a materializar-se quando os jovens se viram obrigados a construir o próprio estúdio “numa cave de casa”. E contam-nos: “compramos o pladur, serrámo-lo e pintámo-lo”. Rúben Araújo confessa até que, no dia anterior à primeira entrevista com Iury Leal, psicólogo do desporto do Sporting Clube de Portugal, “ainda estávamos a acabar de montar o estúdio à pressa e a preparar a entrevista”. O certo é, no fim, “tudo correu bem”.

O primeiro episódio desta série saiu em novembro e, a partir daí, mais 4 episódios já estavam em fase de conceção. O mês de dezembro teve como convidado o maiato Carlos Resende, ex-atleta internacional e atual treinador de andebol.

Em Janeiro, foi a vez de Miguel Queiroz, capitão da equipa de basquetebol do Futebol Clube do Porto. Em fevereiro, o projeto contou com a presença de Hélder Nunes, atleta de hóquei em patins do Barcelona e ex-atleta do Porto, e em Março, os jovens tiveram a oportunidade de entrevistar Jorge Sousa, ex-árbitro internacional português.

A entrevistada para o mês de abril foi Ana Bispo Ramires, psicóloga no Comité Olímpico de Portugal.

Diogo Resende confessa a “honra” que significou entrevistar Jorge Sousa, devido ao contributo positivo que o mesmo deu ao projeto. “Foi muito enriquecedor, pois conseguimos perceber a perspetiva de um árbitro. Normalmente os árbitro são figuras com menos à vontade e liberdade para partilharem os seus conhecimentos e perspetivas, e a forma como o Jorge foi pegando nos temas lançados acho que ficou uma entrevista muito interessante para aquilo que pretendíamos”. Entre os temas abordados com Jorge Sousa, os jovens destacaram a “importância das competências psicológicas como a concentração, a gestão emocional, a convivência com o erro e a gestão do stress”.

 

A pandemia teve um papel importante na questão de alertar para o tema da saúde mental e do bem-estar emocional”

Rúben Araújo alega que a iniciativa, “honestamente, superou as expectativas, porque nunca pensamos ter atletas a demonstrarem interesse em questões tão importantes, mas ao mesmo tempo, ainda muito tabu na sociedade portuguesa”. A missão destes jovens era “quebrar o gelo em torno da psicologia e encará-la com a normalidade que merece”.

Rúben salienta que a participação de André Amaral, o produtor audiovisual do projeto, “é determinante”, e apesar do mesmo se encontrar fora do país no momento, os colegas não o deixam de parte, afirmando que “sem ele isto não era possível”.

Os jovens destacaram que a pandemia do Covid-19 teve um papel de “alertar para o tema da saúde mental e do bem-estar emocional”. De acordo com Diogo Resende, “a dificuldade de adaptação a diferentes situações e contextos “revelou-se difícil para as pessoas e o contexto desportivo não é exceção”. É uma questão“transversal e é importante que se valorize cada vez mais a área da Psicologia, o trabalho dos psicólogos e a importância da saúde mental e do bem-estar emocional”.

Juntar “o útil ao agradável” foi o resultado final do trabalho dos três jovens e, como afirma Rúben Araújo, “o objetivo era que a nossa evolução não estagnasse, que continuássemos a crescer e sobretudo, a aprender”. O projeto aconteceu no “timing perfeito, estávamos todos perfeitamente alinhados e só assim é que as coisas podem sair corretamente”, completa.

Os estudantes de psicologia explicam que o esquema atual do projeto “são 10 episódios” e que a “incerteza acerca do futuro profissional” os impede de fazer planos em avanço. Contudo, os jovens não deixam de sonhar e, esperam um dia, poder levar o “Na Desportiva” mais longe, concedendo-lhe uma abordagem mais académica numa compilação das entrevistas que vá além das plataformas digitais.

Por agora, pode acompanhar o projeto destes três jovens através do canal de Youtube “Na Desportiva”, bem como no Facebook ou Instagram.

- Publicidade -