Académico Sangemil: Faltou pouco para subir

0
203

O Clube Académico de Sangemil fez uma excelente época na Divisão de Honra dos Campeonatos Distritais de Futsal da Associação de Futebol do Porto. Os maiatos ficaram a escassos dois pontos da subida aos Nacionais e fez uma segunda volta sem derrotas.

O presidente do clube, Joaquim Reis, mostra-se “satisfeito” com a equipa mas até queria mais: “Foi uma época bastante positiva. Na primeira volta fomos algo irregulares e por isso não conseguimos coroar de êxito a excelente segunda volta que fizemos. Fomos os campeões da segunda volta, com 13 vitórias e dois empates, o melhor ataque e a segunda melhor defesa. Se tivéssemos feito uma melhor primeira volta, terminaríamos o campeonato com alguns pontos de distância dos nossos adversários”, refere Joaquim Reis.

O presidente do Clube Académico de Sangemil até tem explicação para o mau início, onde perderam metade dos jogos da primeira volta: “A razão é o facto de não termos a equipa completa. Algumas lesões, castigos, e jogadores que não puderam dar o contributo à equipa devido a compromissos profissionais. Na primeira volta um dos nossos jogadores mais importantes esteve em apenas cinco jogos dos quinze possíveis. Isso é demonstrativo das dificuldades que tivemos”, diz o dirigente.
Joaquim Reis fala ainda de incerteza em relação ao futuro: “Ainda não sabemos em que divisão vamos jogar. Há a possibilidade de irmos para a III Nacional devido a desistência que irão acontecer. Vemos esperar para ver”.

No que troca à equipa técnica, Joaquim Reis anunciou que Paulo Ribeiro já acordou a saída do clube, uma decisão que, segundo o dirigente, “foi tomada por ambas as partes”, e já tem um novo nome para o comando técnico: “Sérgio Carvalho, que estava na Juventude de Águas Santas, vai assumir o cargo de treinador. Será acompanhado por Pedro Sousa, Bruno Barbosa e Bruno Guimarães. Na equipa não prevemos grandes mexidas até porque já acordamos com a maioria para continuar. O objectivo é que continua a ser o mesmo. Queremos subir e corrigir a injustiça de que fomos vítimas há duas épocas atrás, com uma descida resultante de regulamentos vergonhosos”, finaliza o presidente do Clube Académico de Sangemil.

André Cordeiro