Amanhã da Criança: Reestruturar para chegar à primeira divisão

0
150

A secção de futsal do Amanhã da Criança vai ser alvo de alterações para que possam, dentro de cinco anos, chegar à primeira divisão e lutar com os grandes da modalidade em Portugal.

Segundo o presidente do Amanhã da Criança, José Manuel Correia, o departamento “está ser alvo de uma reestruturado” numa estratégia que prevê “uma reorganização interna e outro tipo de colaboração entre equipas técnicas”. Para já o presidente diz que a estratégia passa pela formação:”Estamos a postar nos escalões mais jovens, principalmente na equipa de juniores. Daí nós querermos que haja um maior colaboração entre o treinador principal e o dos juniores”.

José Manuel Correia tem já definidos os objectivos para a próxima época: “Vamos jogar para nos mantermos na terceira divisão”. Porém, a longo prazo as metas são mais ambiciosas: “Estamos a negociar um contrato de patrocínio para cinco anos com uma empresa da indústria farmacêutica que fica aqui na fronteira com a Maia. Depois de concluído esse negócio, e com um orçamento maior, vamos tentar chegar a primeira divisão”.

Em relação à equipa principal, o presidente do Amanhã da Criança diz que já tem o plantel definido. “O treinador Vítor Magalhães, bem como a sua equipa técnica, mantém-se e já acertámos as contratações de cinco jogadores para colmatar os quatro atletas que saíram em Janeiro”.

No que diz respeito à época que agora termina, que culminou com a descida de divisão, José Manuel Correia aponta as divisões internas como principal razão. “Nós começámos bem o campeonato, mas depois houve um divisão entre o treinador e alguns jogadores que tornou insustentável a relação entre eles… Esses atletas saíram em Janeiro e tivemos que jogar com alguns juniores. Esse é o principal motivo para termos descido”.

No entanto, esta época ainda não terminou para as equipas do Amanhã da Criança ainda não terminou: “As nossas equipas estão em Barcelona a disputar um torneio. Foram na sexta e só voltam este sábado e vão enfrentar conjuntos como o Barcelona, o Real Madrid, as selecções da Rússia Ucrânia, entre outros. Ao todo são doze equipas e a mais pequenina é o Amanhã da Criança, mas para já está a correr bem e os resultados têm sido positivos”, concluiu José Manuel Correia.