Ambições intactas

0
116

As equipas seniores do Gueifães estão a ter campeonatos tranquilos. Cumprida metade das respectivas provas, as ambições continuam intactas e até já se pensa em finais e subidas.

O presidente do clube, Américo Silva, é o reflexo desse sentimento: “Continuamos com as mesmas ambições. No feminino é ir à final, o que seria a melhor classificação de sempre. No masculino, queremos lutar pela subida à Divisão A1”.

Nesta competição, o Gueifães está na quarta posição, com 20 pontos, menos três que o líder Trofa, e menos dois que Ribeirense e Clube K. Para Américo Silva a classificação pode ser diferente: “Estamos em quarto mas temos jogos a menos. Em questão de derrotas, temos menos que equipas que estão à nossa frente. Daí considerarmos que estamos em segundo, porque temos as mesmas duas derrotas que o Ribeirense, mas temos menos que o Clube K”. Por isso, a avaliação das comandadas de João Vieira só pode ser positiva: “A época está a correr de feição, estamos acima dos objectivos. O único senão foi a visita aos Açores que nos valeu as duas derrotas”, afirma o presidente do clube.

Américo Silva está também confiante para o que resta da época: “Somos a única equipa 100 por cento portuguesa e estamos encostados lá em cima na classificação. Acredito que o Trofa já tem o lugar na final garantido, por isso temos que lutar com as duas equipas açorianas por um lugar na final. Nós vamos recebê-las no municipal de Gueifães e aí poderemos fazer a diferença”.

Em relação à prestação da equipa masculina, Américo Silva também se mostra satisfeito: “É um campeonato complicado porque tem equipas das ilhas que têm um orçamento maior que as do continente, como o Clube K, que está em primeiro lugar empatado connosco. Nós temos uma prestação muito boa. Se não fosse o Clube K, seriamos o principal candidato à subida”.

Apesar do maior domínio dos açorianos, o presidente do Gueifães não atira a toalha ao chão: “Nós ainda não estamos derrotados. Queremos ir à final e depois de lá estar tudo pode acontecer. Eles têm uma base de seis jogadores muito forte, mas nós temos melhor banco e isso pode fazer a diferença”, concluiu Américo Silva.

André Cordeiro