Avaliação positiva com título no horizonte

0
130

A Fundação Nortecoope compete este ano pela primeira vez sem o “irmão” Centro Desportivo. Até agora não se está a sair nada mal. As tetra-campeãs nacionais começaram o campeonato em grande e a equipa masculina está a fazer uma prova regular.

As meninas da Fundação têm cinco vitórias em cinco jogos, venceram a Supertaça e são líderes isoladas do campeonato. O presidente da Fundação Nortecoope, Joaquim Faria, encara esta situação com normalidade: “Como sempre é um início arrasador. Somos talvez a única equipa nacional que consegue estes resultados e está sempre em cima”.

Em relação à transição das jogadoras do Centro Desportivo para a Fundação, o presidente do clube mostra-se agradado até ao momento: “A integração está a correr bem. Já eram jogadoras da casa e isso facilita”. Joaquim Faria mostra também ambição para 2010: “Pensamos que será mais um ano em que conquistaremos tudo. Só se houver uma infelicidade muito grande é que não o conseguiremos. Há uma grande diferença entre as equipas. Só o Mealhada é que pode oferecer alguma resistência. De resto, é para levar tudo”.

Em relação à equipa masculina, que desceu para a 2ª Divisão, os objectivos de início de época eram mais modestos e passavam pela manutenção. Até ao momento, os comandados de Domingos Oliveira estão na quarta posição, com os mesmos pontos do terceiro e a cinco da dupla que lidera a prova. Joaquim Faria mostra-se satisfeito: “Está a correr bem. Na 2ª Divisão não há jogos fáceis, são muito disputados até ao fim e as equipas são todas boas”.

Apesar da boa prestação da equipa, o presidente da Fundação Nortecoope não quer falar em alteração dos objectivos: “A meta continua a ser a manutenção. Penso que temos equipa para lutar pelos primeiros lugares até ao fim, não rejeitamos isso, mas essa não é a prioridade. O que vier mais é por acréscimo”, concluiu o dirigente maiato.

André Cordeiro