Blanco corre para a história

0
161

A Volta a Portugal via para a estrada já na próxima quarta-feira, dia 4 de Agosto, e David Blanco é um nome incontornável desta 72ª edição da maior prova velocipédica nacional. O ciclista galego, nascido em Santiago de Compostela há 35 anos, é uma das grandes figuras do ciclismo em Portugal nos últimos. Vencedor de três Voltas a Portugal (2006, 2008 e 2009), Blanco tenta esta ano alcançar a quarta vitória e igualar Marco Chagas como o corredor como mais vitórias na prova no currículo. O espanhol da Palmeiras Resort Tavira aparece como o candidato número 1 e já assumiu que não vencer seria um fracasso, até porque atravessa um bom momento de forma e vem de uma vitória na Volta ao Alentejo.

Esta 72ª edição começa com os casos de doping do ano passado na memória. Nuno Ribeiro venceu a prova em 2009, mas acusou positivo num controlo efectuado dias antes do início e perdeu esse título, que entretanto foi atribuído ao segundo classificado, nada mais nada menos que David Blanco.

Na equipa de Tavira, a mais antiga do plantel internacional, aparece outro crónico candidato à vitória. É certo que todos os anos o “foguete de Rebordosa” Cândido Barbosa é apontado como um dos favoritos e claudica nas subidas mais duras, mas o seu palmarés continua a falar por si e não pode ser esquecido quando se apontam as grandes figuras da prova. E ele já ganhou em 2010 o Troféu Joaquim Agostinho.
Entre as equipas portuguesas há mais alguns nomes que podem ser apontados como possíveis candidatos. Na Barbor Siper há dois nomes a ter em conta. O espanhol David Barnabéu já venceu a Volta e apresenta-se também como um nome de peso para voltar a ganhá-la. O outro ciclista é Rui Sousa. O corredor de 34 anos, natural de Viana do Castelo, venceu o Campeonato Nacional de Elites e é já uma referência do pelotão português.

No Centro de Ciclismo de Loulé há outro nome habituado às vitórias. Santiago Pérez também já ganhou este ano o Grande Prémio Liberty Seguros e está atravessar um bom momento de forma. As esperanças da equipa louletana, que não tem João Cabreira, estão depositadas nesta ciclista das Astúrias,que já ganhou etapas no Giro de Itália e na Vuelta.

Por fora correm os chefes de fila da Madeinox Boavista e da La Rota dos Móveis. A equipa portuense perdeu Tiago Machado para a Radio Shack, aposta no tirsense Sérgio Sousa. Já a equipa de Paredes tem em Hugo Sabido uma das esperanças, ele que até foi o vencedor da Volta a Maia 2010.
A descida da Volta a Portugal no ranking da UCI, faz com que as equipas estrangeiras presentes não tragam os melhores ciclistas, não apresentando grandes candidatos à vitória final. Assim, o destaque vai para Nélson Oliveira. O ciclista português que milita na Xacobeo Galicia ainda é muito jovem, mas este ano conseguiu sagrar-se vice-campeão europeu de fundo na categoria de sub-23, num campeonato onde também arrecadou a medalha de bronze na prova de contra-relógio.

Destaque ainda para o maiato Fábio Palma. O ciclista da Maia Bike Team foi convocado para representar a Selecção Nacional no regresso da formação lusa à maior prova velocipédica em Portugal, que só é possível também devido à descida da prova portuguesa no ranking internacional.

André Cordeiro