Castelo da Maia: Fase Final quase garantida

0
134

O início de temporada tem sido de contrastes para o Castelo da Maia Ginásio Clube. A equipa maiata de voleibol começou a época com um novo técnico e uma vitória na Supertaça frente ao Sporting de Espinho..
A classificação a Divisão A1 também é condizente com os objectivos assumidos, uma vez que ocupa o quarto lugar a três pontos de Espinho e Vitória de Guimarães mas com menos um jogo. A diferença para os perseguidores já é considerável e quase garante uma presença na fase decisiva da prova.

O pior foi a Taça de Portugal. Conquistada contra o Benfica no ano passado, a hipótese de renovar o troféu caiu por terra após uma derrota caseira frente aos vimaranenses.
Apesar desta eliminação, o presidente do Castelo da Maia, Celestino Fonseca, está agradado com a prestação da equipa esta temporada: “Relativamente à Divisão A1 estamos a cumprir os objectivos traçados. Estamos no quarto lugar, com menos um jogo, e não fosse isso teríamos a mesma pontuação do Guimarães e do Espinho. Aliás, temos apenas duas derrotas, tantas quantas o líder Benfica, e se a pontuação se fizesse no modelo antigo estávamos na liderança. Na Taça, ficámos muito tristes. Queríamos continuar na luta pela renovação desse título, mas tivemos um dia menos bom, em que mesmo se jogássemos mais tempo, nada sairia bem. Perdemos com uma formação também ela muito forte e saímos de cabeça erguida”.

Na última partida de 2010, o Castelo da Maia viu o jogo frente ao Leixões, em Matosinhos ser adiado por falta policiamento. Celestino Fonseca espera ver a atribuída a vitória ao emblema castelense: “O Leixões não contratou polícias para o jogo e por isso ele não se realizou. Agora esperamos por uma decisão da Federação. É uma atitude de amadores, uma falta de respeito pelo adversário e só posso esperar uma vitória nossa. Seria injusto se tal não acontecesse até porque assim era fácil adiar jogos no caso de termos dificuldades para jogar”, afirma o presidente do clube.

Rui Pedro Silva é o novo técnico esta temporada, após a saída de Alexandre Afonso. O dirigente castelense está satisfeito com os resultados até agora: “Estou muito contente com o trabalho que está a realizar. É um ano de crise e dotámos a equipa com os melhores jogadores possível. Só temos duas derrotas, fora contra o Benfica e o Guimarães, e isso só me pode deixar satisfeito”.
A equipa feminina do Castelo da Maia subiu este ano À Divisão A2 e até agora luta pelos lugares cimeiros. Celestino Fonseca também se mostra agradado com a campanha: “Na feminina também só termos duas derrotas e andamos na parte de cima da tabela. É algo muito bom e que se me pode deixar satisfeito. No último jogo perdemos frente a uma equipa candidata ao título, mas ainda assim não correu mal de todo”.

A carreira da equipa tem sido agradável, mas ainda assim o presidente do Castelo não pensa na subida à divisão máxima: “Os tempos não estão fáceis e nós queremos dar importância à parte financeira para que sejamos sempre um clube cumpridor. Por isso vamos pensar jogo a jogo, mas sempre com a ideia de consolidar o clube e não fazer uma má gestão. Subir é sempre bom mas os objectivos desportivos têm que ser sempre em conjugação com a parte financeira”, conclui Celestino Fonseca.

André Cordeiro