Clube de Karaté da Maia a crescer, mas sem espaço

0
507

Já é pequeno o espaço disponibilizado para o Clube de Karaté da Maia (CKM). O alerta foi lançado no passado domingo, pelo presidente do clube, a propósito das comemorações do 8º aniversário. Decorreram no auditório da Associação Cultural e Recreativa “Os Fontineiros da Maia”, nos Moutidos, decorado com fotografias do clube e alguns dos muitos troféus já conquistados.

Além da decoração, o espaço encheu. Com atletas e familiares, mas também representantes de outras colectividades, de juntas de freguesia e até o director do Agrupamento de Escolas de Pedrouços. Na mesa da sessão solene sentaram-se, além do responsável máximo do clube, um representante da Junta de Freguesia de Águas Santas, Mário Vinhas, o vereador do pelouro do Desporto e o presidente da Câmara Municipal da Maia, respectivamente, Hernani Ribeiro e Bragança Fernandes. Marcaram ainda presença Fernando Moreira, em representação do Governo Civil do Porto, o presidente da Federação Nacional de Karaté, João Salgado, e o presidente da Assembleia Municipal da Maia, Luciano da Silva Gomes.

O presidente da direcção do CKM, António Moreira, reconhece que o espaço cedido ao clube, no edifício onde está instalada a PSP de Águas Santas, era “razoável”, na altura. O certo é que houve um “crescimento galopante” e o espaço começa a ser exíguo, até porque “trabalhar com crianças não é a mesma coisa que trabalhar com um jovem de 20 ou 30 anos”:

[audio:ESPACO_CKM.mp3]

Além do apelo lançado na comemoração do aniversário, o dirigente afirmou no final que o problema será apresentado ao presidente da Câmara Municipal da Maia. Seja qual for a resposta, está esperançado que o apoio da autarquia vai continuar. Mas, independentemente do apoio, “vamos continuar a desenvolver a actividade desta forma empenhada e com dedicação a esta causa que consideramos nobre”.

A vontade de continuar é também justificada com o incremento da modalidade no concelho, visível até com a vinda para a Maia de adolescentes de jovens de outros concelhos. “Vêm treinar connosco porque gostam do nosso projecto, confiam no nosso trabalho e reconhecem valor”, justificou António Moreira. Assim como os pais confiam no CKM, sobretudo porque a prática da modalidade não os faz descurar os estudos. Aliás, sublinha o presidente do clube, “a nossa bandeira é aconselhar a que eles continuem”. O lema é sempre “primeiro o estudo, primeiro a escola”. Daí que António Moreira, no início da sessão, tenha chamado também para a mesa uma representante dos atletas e uma representante dos pais. Além das entidades oficiais.

Actualmente, o Clube de Karaté da Maia, “muito vocacionado para a formação” e já “uma referência na modalidade em Portugal”, conta com cerca de 700 atletas e mais de 20 técnicos. Sublinhou ainda António Moreira que se trata de uma “equipa muito bem estruturada, muito bem formada”.

Do CKM são quatro dos 15 atletas nacionais de alto rendimento: Vítor Silva, Inês Rodrigues, Gonçalo Pinto e Nuno Moreira. Além destes feitos, o presidente da federação revelou na sessão solene de domingo que António Moreira recebeu do Instituto do Desporto de Portugal (IDP) o estatuto de Alto Rendimento de Arbitragem, enquanto membro do conselho de arbitragem da federação. Das provas em que tem estado, admite que tem “dignificado Portugal”.

Alguns dos feitos conseguidos pelo CKM, e por alguns dos seus atletas em particular, foram destacados na exposição multimédia sobre a história do clube, exibida antes dos discursos oficiais e já depois das demonstrações a cargo dos jovens atletas Inês Sousa e Pedro Rocha.

Marta Costa