Coopermaia: Regresso a “casa”

0
986

A equipa de futsal da Coopermaia não teve uma época 2009/20101 muito positiva. A formação maiata competiu pela primeira vez na Divisão de Honra da AF Porto e não conseguiu a manutenção, terminando em 14º lugar da classificação geral.
A época não foi boa, mas segundo Carlos Azevedo, presidente da cooperativa maiata, “também não foi má”. O responsável máximo da Coopermaia aponta vários factores como explicação para a descida da equipa: “Nós tivemos alterações na equipa técnica na segunda metade do campeonato, o que levou a alguma instabilidade que demorou tempo a recuperar. Nós militámos muitos anos na 1ª Divisão Distrital e na Honra há muitas coisas diferentes. Por exemplo é um campeonato cronometrado, obrigando a uma maior experiência e a nossa equipa era um pouco inexperiente. No entanto, houve uma entrega muito grande de toda a equipa em geral”, elogia Carlos Azevedo.

O presidente da Coopermaia deixa também elogios ao actual técnico Marco Chapêlo: “Deixo uma palavra muito especial ao treinador. Ele fez o melhor possível, uniu o grupo e já esta a preparar a próxima época”.
A temporada 2010/2011 promete algumas alterações numa equipa “que será um misto de juventude e do plantel anterior, com mais de metade dos jogadores”. Carlos Azevedo lamenta a saída do capitão Diogo Braga: “É com muita tristeza que vemos sair o Diogo. Devido a afazeres profissionais teve que se radicar definitivamente em Lisboa. Ficou a promessa de no Norte só jogar na Coopermaia. Mas vai-nos fazer muita falta como jogador, como pessoa, e até como capitão. Ainda assim, haverá outros jogadores já com alguns anos de casa que estarão à altura de assumir a liderança dentro do balneário”, afirma o presidente da formação maiata.

Em relação aos objectivos para a próxima temporada, Carlos Azevedo revela-se muito ambicioso: “temos naturalmente aspirações aos lugares cimeiros e a voltar à divisão de Honra. É uma aposta que queremos fazer juntamente com na equipa técnica. Estamos preparados e animados para enfrentar este desafio, numa divisão que bem conhecemos e onde já estivemos muito anos. Tudo faremos para ter uma equipa coesa e que tenha uma entrega absoluta ao clube”, conclui o dirigente da Coopermaia.

André Cordeiro