Derrota frente ao Barcelos decide descida do Maia Basket à CNB 1

0
144

 

O Maia Basket é a equipa que vai acompanhar o Atlético na descida de divisão. Neste caso, à CNB1. Pelo menos, “teoricamente”, de acordo com Rui Silva. O treinador diz que devido à desistência das equipas do Belenenses e Lusitânia que competiam na Liga Portuguesa de Basquetebol, “em princípio”, poderá não haver descidas esta época. No entanto, para todos os efeitos, os maiatos regressam à CNB 1.

O destino do clube maiato ficou definido após a derrota perante o Basquete de Barcelos, na última jornada do Campeonato da Proliga. Por sua vez, a jogar em casa, o Basquete de Barcelos garantiu a permanência ao vencer os maiatos por 66-61. Rui Silva diz que o Maia Basket “esteve bem”, mas mais uma vez foi traída pela sorte nos últimos minutos de jogo. “Conseguimos durante 30 minutos realizar um bom jogo, mas depois à semelhança daquilo que tem sido a época, falhamos nos últimos três minutos. E foi fatal. Nos últimos três minutos, defensivamente, não estivemos bem. Permitimos alguns cestos falsos ao Barcelos, que permitiram a nossa derrota”, analisa o treinador.

De resto, finda que está a participação do Maia Basket na presente temporada da Proliga, Rui Silva faz um balanço “positivo”, embora tenha ficado evidente, nas duas últimas épocas que falta “alguma coisa” à equipa.

O treinador continua a insistir na necessidade da contratação de um jogador estrangeiro. “É muito difícil conseguirmos jogar de igual parta igual com as outras equipas sem termos um estrangeiro”, diz. Rui Silva lembra que na época em que subiram à Proliga, a equipa tinha um atleta cabo verdiano, Mário Correia, que muito contribuiu para que a o Maia Basket terminasse a temporada em sexto lugar. “Acredito que se conseguíssemos contratar um jogador estrangeiro e englobá-lo na equipa do Maia Basket, não tínhamos mais problemas em termos de classificação”, concluiu o treinador.

Quem beneficiou da vitória dos barcelenses na última jornada da Fase Regular da Proliga foi o Seixal que, mesmo tendo perdido, em casa, frente ao Sampaense (75-97), manteve-se na Proliga. Angra e Eléctrico FC foram as últimas equipas a carimbarem a presença no playoff, depois de terem vencido, respectivamente, o Sangalhos (84-65) e o Queluz (67-65).

Face aos resultados desta última jornada, os jogos alinhados para o playoff são: Illiabum-Angra; Esgueira-Queluz; Sampaense-Eléctrico FC; e Galitos-Sangalhos.

O Maia Basket finaliza a fase regular, e a temporada, em 11º lugar, com 40 pontos. Em 34 jornadas, a equipa dirigida por Rui Silva sofreu 24 derrotas e venceu apenas oito jogos.

Fernanda Alves