"Em Gueifães manda a Coopermaia”

1
150

“Em Gueifães manda a Coopermaia”. É com este lema e com este espírito que a equipa vai entrar, no domingo, às 18h30, no Pavilhão Municipal local, para defrontar o Vilar Futsal. Trata-se de um jogo da segunda jornada do campeonato da primeira divisão distrital, série 2, da Associação de Futebol do Porto.

A Coopermaia que vem de um empate a duas bolas com o Aliviada. Um jogo que o treinador, Francisco Fardilha, considera ser “típico” de início de temporada em que mais do que a técnica ou táctica foi a emoção a marcar o jogo e a ter uma influência no resultado final. “Jogamos num dos campos mais complicados desta primeira divisão distrital quer pela dureza da viagem quer pelo ambiente adverso, embora sempre respeitador e honesto, que os da casa criam nos seus jogos como visitados e que têm natural influência sobre as arbitragens”.

Apesar disso, o técnico afirma que foi um jogo “extremamente” competitivo e “bem” disputado. “Entrámos com muita qualidade e a dominar por completo o jogo, marcando o primeiro golo bem cedo, entre os 18 e os 20 minutos da primeira parte mas tivemos duas desconcentrações defensivas que fizeram com que sofrêssemos dois golos”, recorda.

O facto de o tempo ser corrido fez com que a Coopermaia tivesse que “rapidamente” rectificar os erros e o segundo tempo parte foi, “mais uma vez”, de “intensidade total” por parte dos maiatos. “Marcámos o golo do empate a meio do segundo tempo mas até final arriscámos tudo, porque não temos outra forma de encarar os jogos”.

Mas se querem ser campeões, admite Francisco Fardilha, não se podem contentar com um ponto, embora reconheça que este é o resultado “justo” num jogo em que “podíamos e devíamos ter feito mais”. Mas admite que lhe deu boas indicações para o jogo deste domingo, em Gueifães, com o Vilar. É “outro dos candidatos à subida e por certo nos vai apresentar dificuldades, fruto da grande experiência e entrosamento dos seus atletas”. Mas a ideia é”arrecadar os 3 pontos”.

Os objectivos da Coopermaia para esta temporada passam por lutar pelo primeiro lugar. Uma meta que o técnico não considera ser uma “utopia”, uma vez que desde o dia 25 de Agosto a equipa tem estado a trabalhar nesse sentido. “E os resultados até agora permitem-nos esperar um ano de muitas alegrias”, sublinha Francisco Fardilha. “A qualidade do plantel dá garantias e a ambição e sede de vencer são constantes, ainda para mais num clube em que as condições de trabalho estão muito acima da média das demais equipas”, acrescenta. No entanto, com “humildade” reconhece que as outras formações se reforçaram com “muita” qualidade e que a margem de erro “é muito pequena”. Portanto, “há sempre hipóteses de surpresas”.

Quanto ao plantel para esta época, praticamente mantém a espinha dorsal no ano anterior. Transitaram os guarda-redes Pedro Costeira e Pedro “Pit” e os jogadores de campo Diogo Braga (capitão), Pedro Rocha, Sérgio Silveira, Agostinho Oliveira, Ricardo Alves, João Reis, Fábio Ferreira, Nuno Gouveia, Bruno Sousa, Simão Rocha e André “Mega”. A quem se juntaram então quatro reforços, os guarda-redes Tiago Barros (ex-Bom Pastor) e Marco Chapêlo (ex- SP Cova) e os jogadores de campo José Almeida (ex-Acad. Leça) e Paulo Silveira (ex-Bougadense Fut11)

O técnico, Francisco Fardilha, que regressou “a casa”, depois de uma passagem por Itália e pelo FC Foz, vai ter como treinadora adjunta Sara Pinho.

Isabel Fernandes Moreira

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.