Fundação Nortecoope: Regresso para subir

0
178

A Fundação Nortecoope regressou ao trabalho esta segunda-feira. Após a extinção da formação feminina, a equipa de hóquei patins maiata começou a preparar o ataque à Zona Norte da 2ª Divisão de Seniores Masculinos.
Na época transacta os maiatos terminaram no terceiro lugar a apenas um ponto da subida ao escalão máximo do hóquei português. Este ano, o treinador, David Oliveira, quer fazer melhor: “Como o grupo, o treinador e a direcção são ambiciosos, nós queremos fazer mais do que no ano passado. Como no ano passado ficamos muito perto da promoção, o objectivo este ano passa sempre por subir de divisão. Apesar disso, é preciso não esquecer que esta é uma equipa jovem que ainda tem muito para evoluir”, justifica.

Para atacar a nova época a Fundação contratou Nuno Ribeiro (ex-Valongo) e Raul Alves (ex-Penafiel) para colmatar as saídas de Ricardo Cunha, rumou ao Famalicense, Alexandre Marques e Tiago Gomes. Na formação mantêm-se João Cardoso, João Sanchez, David Ribeiro, Diogo Silva, Ângelo Miguel, Jorge Silva, Diogo Ferreira, Marco Moura e Tiago Sousa. Um plantel mais curto por opção própria assume o treinador. “Os jogadores que entraram foi para colmatar as saídas. Optou-se por um plantel mais reduzido para nos dar garantias para a nova época, o do ano passado era mais comprido mas eu prefiro assim”, diz o técnico maiato.

Durante esta pré-época a equipa maiata vai participar em dois torneios só com formações da 1ª divisão, algo que servirá para os jogadores ganharem experiência. “O objectivo é preparar-mo-nos com equipas melhores do que nós para elevar os nosso índices físicos e técnicos. Iremos participar num torneio com o Juventude de Viana, Benfica e Porto Santo, e iremos estar também no Torneio de Vale de Cambra com o Cambra, o Gulpilhares e o Hóquei de Barcelos. Queremos estar bem nas 30 jornadas do campeonato, que é extremamente competitivo, onde haverá cinco ou seis equipas a lutar pelos primeiros lugares. Será uma luta difícil e saudável mas esperamos estar lá”, afirma David Oliveira.

A Fundação inicia o campeonato a 2 de Outubro no pavilhão da Juventude Pacense e o técnico dos maiatos espera regressar a casa com os três pontos: “O pavilhão tem características muito próprias, com um piso extremamente escorregadio que favorece a equipa da casa. Vamo-nos preparar da melhor forma para esse jogo, para entrar com o pé direito, o que significa arrecadar a vitória. Embora o Pacense tenha lutado para não descer no ano passado, será um encontro muito difícil. Neste campeonato os jogos fora são sempre complicados porque as equipas jogam aguerridas, adaptadas ao seu ringue, ao seu piso e aos seus adeptos. No entanto, a Fundação tem os seus objectivos e entrará para ganhar o jogo”, conclui David Oliveira.

André Cordeiro