GCR Vermoim: Campeões querem manter a Honra

0
12

O Grupo Desportivo e Recreativo de Vermoim vive dias de glória. A equipa de futsal conseguiu a subida à Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto depois de se sagrar campeã da Série 1 da 1ª Divisão e por lá se quer manter esta temporada.
O presidente do Vermoim, José Almeida, classifica a época 2009/2010 como “brilhante” uma vez que “os juniores também subiram de divisão”. Em final de mandato, o dirigente não adianta ainda se haverá recandidatura. “O mandato acaba em Dezembro e haverá eleições. Esta foi uma bonita maneira de o terminar. Ainda não sei se me recandidato, é um assunto tabu”.

Sobre este ano, José Almeida afirma que não quer entrar em grandes ambições. “O objectivo é fazer o melhor possível e, pelo menos, não descer de divisão”. No entanto, “se a oportunidade surgir, claro que gostávamos de subir aos Nacionais”, acrescenta.
A Divisão de Honra tem características ligeiramente diferentes, um facto que não assusta o presidente do clube maiato. “A única diferença é que não são 20 minutos corridos em cada parte porque o cronómetro pára. Os adversários também são conhecidos. Só temos que preparar a equipa para voos mais altos”, afirma José Almeida.

O plantel não tem muitas mexidas e a equipa mantém-se a cargo de José Rodrigues. O presidente aposta na oportunidade para fazer frente ao novo desafio. “Optámos por não mexer muito. A maioria dos jogadores mantiveram-se, houve apenas a saída de dois atletas que foi colmatada com a entrada de outros cinco. Organizámos um Torneio Quadrangular em que ficámos em segundo lugar, perdendo por 2-1 com o Boavista na final. Acho que a preparação está a correr bem”, refere José Almeida.

O GCR Vermoim tem estreia oficial na nova época marcada para o primeiro fim-de-semana de Outubro, e logo com um derby maiato frente ao Arsenal de Parada. José Almeida quer ficar com os três pontos em casa. “Queremos começar com uma vitória para ganharmos balanço para o resto do campeonato. Se perdermos , também não desmoraliza as tropas, mas é sempre bom começar a vencer”, conclui José Almeida.

André Cordeiro