Águas Santas com ambição

0
170

A Associação Atlética de Águas Santas já está pronta para o início da época 2009/2010. Com o plantel renovado, a vontade da equipa técnica do clube é fazer o melhor possível. E isso implica andar entre os seis primeiros. Pelo menos é essa a vontade do técnico principal da equipa, Paulo Queirós, embora não goste de falar de objectivos, “porque isso implica termos que ir ‘para lá’, e quando estamos a falar de desporto, o que é não é o que parece”, diz.

 

Cauteloso, Paulo Queirós garante que a prioridade “é lutar semana após semana” por uma boa classificação, mas deixa escapar o desejo de “ficar no grupo dos seis primeiros”. Acrescenta ainda que “não seria de bom gosto dizer que não é esse o nosso objectivo. De facto é, irá ser, porque nós gostamos de andar entre os melhores”.

Esta vai ser uma época diferente para a Associação Atlética de Águas Santas e para os restantes clubes em competição, já que “a liga acabou, passámos para a Federação, o grupo de clubes cresceu, passou para 12, vão haver mais jogos, a época torna-se mais longa… vai acabar em Junho”, ao contrário da época transacta, que findou em Março. Com um calendário mais extenso, o técnico do Águas Santas considera agora importante a boa gestão de esforços do plantel, “para que no final da época ainda seja possível praticarmos um bom andebol”.

Com uma época mais longa no horizonte está um plantel reformulado. Saíram seis jogadores e entraram oito. Três deles vieram das camadas jovens. Luís Cunha, Hugo Maia e João Silva. De fora vieram Pedro Graça (que alinhava pelo Sporting da Horta), Tiago Miranda e Rui Pereira (ex jogadores do São Bernardo), e de Pedro Correia (ex-Francisco de Holanda). Pedro Cruz (que fazia parte da equipa do Sporting), regressa ao clube maiato. Plantel renovado mas coeso. Com a pessoa antes do jogador. São as palavras de Paulo Queirós, que foi “buscar pessoas que, além de serem boas no plano técnico-táctico, estão acima do andebol. São pessoas que quer seja no balneário, quer seja no próprio grupo, no treino e na competição, são pessoas que nos mereceram a total credibilidade”.

A formação é também uma das apostas do Águas Santas. “Tem que ser”, diz Paulo Queirós. Isto porque “as dificuldades que os clubes apresentam são muito grandes”, e torna-se necessário recorrer às camadas jovens. Mas a qualidade dos jogadores não fica de fora: “são jogadores bons e merecem a oportunidade de singrar nas competições seniores”.