Hugo Sabido venceu a Volta à Maia (áudio e fotos)

0
169

No ano em que a prova se abriu a corredores de elite, Hugo Sabido venceu a terceira Volta ao Concelho da Maia em Bicicleta. O corredor de 30 anos, a representar a LA-Paredes-Rota dos Móveis, sagrou-se vencedor no sábado à tarde, depois de percorridos os 221,8 quilómetros (kms) da edição 2010 da corrida organizada pela União Ciclista da Maia (UCM).

A volta tinha arrancado na sexta-feira, com uma prova em linha de 143 kms. O mais rápido a fazer o percurso foi Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), sendo o primeiro a envergar a camisola amarela desta edição 2010 da corrida. Para esta vitória – ainda que com apenas três segundos de vantagem sobre o pelotão – valeu-lhe a fuga, a cerca de 8 kms da meta, aproveitando a última contagem de montanha da tirada.

Foi com a camisola amarela que Sérgio Sousa partiu para a estrada no sábado, último dia da volta, mas com duas etapas para cumprir. De manhã, no contra-relógio individual de 8,8 kms, o corredor boavisteiro foi batido por Hugo Sabido. Com os mesmos três segundos de diferença, mas neste caso com vantagem para o ciclista da equipa LA-Paredes-Rota dos Móveis, novo camisola amarela da Volta à Maia.

A vitória da manhã foi apenas um aperitivo para o que a prova reservava para este corredor português, que já não vencia desde 2005. A partir das 16h00, quando as equipas regressaram às estradas da Maia para o circuito urbano de 70,2 kms (terceira etapa), Hugo Sabido contou com o apoio dos colegas das LA-Paredes-Rota dos Móveis para defender a curta vantagem sobre o mais directo adversário. As tentativas de fuga foram travadas pelos homens de Paredes, mas não conseguiram evitar o sprint de Bruno Saraiva (Centro de Ciclismo de Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow), o primeiro a cortar a meta na terceira tirada da prova.

Carreira sofrida

Bruno Saraiva já tinha disputado uma Volta ao Concelho da Maia, enquanto era ainda amador e ao serviço da UCM. Por isso, encarou a vitória nesta etapa como “um agradecimento à terra”. Mais do que isso, “uma vitória recompensadora” para a equipa que agora representa e para si próprio, sobretudo porque tem sido “uma carreira muito sofrida”. E ainda sofreu nesta Volta à Maia. Na primeira etapa, o corredor da equipa algarvia escapou a uma queda que poderia ter sido grave quando partiu a direcção, já na última volta do percurso.

Fácil também não foi a conquista desta volta por parte de Hugo Sabido. Já depois de consagrado vencedor da prova, o ciclista de Paredes reconhecia que a terceira etapa “foi muito difícil de controlar, atendendo à velocidade deste circuito citadino”. Mas com o apoio dos restantes cinco corredores da equipa, garantiu-se a “vitória muito importante” para o conjunto LA-Paredes-Rota dos Móveis e que acabou por ser o primeiro triunfo numa prova por etapas. Em termos pessoais, também “foi muito bom”, confessou Hugo Sabido.

[audio:SABIDO.mp3]

Por equipas, não houve dúvidas quanto aos vencedores. Desde a primeira etapa da prova que a Madeinox-Boavista liderada a classificação, sagrando-se o melhor conjunto dos 16 que disputaram este III Volta ao Concelho da Maia em Bicicleta. De recordar que, este ano, ao contrário das duas primeiras edições, a prova contou com a participação de equipas profissionais (cinco), sendo as restantes (11) do escalão sub-23.

Sucesso de adesão

A Volta ao Concelho da Maia em Bicicleta atingiu, nesta terceira edição, um patamar mais elevado do calendário velocipédico nacional, ao trazer à competição ciclistas profissionais. Entende o presidente da UCM que, este ano, a prova melhorou em termos de qualidade e da própria segurança associada à organização. Além disso, a somar à participação e à entrega dos corredores em prova, “foi um sucesso pela adesão do público”, admitiu Paulo Couto:

[audio:COUTO_VOLTA.mp3]

Quanto à equipa da casa, a Maia Bike Team, do escalão sub-23, os objectivos foram cumpridos, com “o melhor homem a aguentar o ritmo dos profissionais”, sublinhou Paulo Couto. Fábio Palma, de 21 anos, foi o melhor do conjunto maiato nesta terceira edição da volta, terminando a prova na 30ª posição da classificação geral individual. Quem não chegou a terminar foi Casimiro Oliveira. Aquando da 13ª volta do circuito urbano, e quando liderava a tirada, o corredor da UCM foi abalroado por um carro de apoio neutro, quando este tentou ultrapassar o atleta numa zona em que a estrada ficava mais estreita. Mesmo a chegar à Torre do Lidador. De imediato assistido pelos Bombeiros Voluntários de Moreira da Maia, o ciclista sofreu apenas algumas escoriações “mas não é nada de grave”, assegurou no final da prova o presidente da União Ciclista da Maia.

Marta Costa

Fotos:
[nggallery id=1]