Inter de Milheirós: No lugar que merecem

0
228

O Inter de Milheirós está a ter um começo de época bem longe dos objectivos traçados antes da competição ter início. Com os lugares cimeiros no pensamento, os milheiroenses acabam 2010 na 9ª posição da Série 1 da 2ª Divisão, já a 16 pontos do Sporting da Cruz.
O presidente do Inter, Sérgio Cunha, mostra-se conformado com o rendimento abaixo do esperado evidenciado pela equipa: “Nós esperávamos estar melhor mas o lugar em que nos encontramos reflecte o nosso desempenho dentro das quatro linhas”.

O dirigente milheiroense até já encontrou algumas explicações para menor prestação no campeonato: “Há uma série de factores que explicam este início menos bom. Primeiro, a saída de alguns jogadores que eram preponderantes quer dentro do campo quer no balneário. Essas saídas não forma devidamente acauteladas até porque somos um clube com parcos recursos económicos e não é fácil arranjar bons jogadores. Depois, também aquilo que toda a gente se queixa, a falta de sorte. Mas isso também se procura”, atira Sérgio Cunha.

O presidente do Inter Milheirós diz-se “satisfeito” com o trabalho do técnico Joaquim Canário, até porque o trabalho é dificultado pelas dificuldades económicas: “ Não se pode fazer omeletas sem ovos. Até agora tem tido um trabalho muito bom quer a nível motivacional, quer técnico. Nós temos que considerar as nossas carências são enormes e que ele e os jogadores precisavam de outro tipo de apoio que não conseguimos dar. É preciso também notar que somos o único clube da Maia sem estruturas consolidadas”, aponta o dirigente.

Sérgio Cunha deixa também alguns lamentos à Câmara Municipal da Maia: “Gostaríamos que, ao fim de oito anos, a câmara se lembrasse de nós e ajudasse a apetrechar o Parque Municipal com aquilo que ele precisa. Um relvado sintético e uma bancada coberta eram essenciais”, pede o presidente do Inter.

Em relação ao que resta da temporada 2010/2011, Sérgio Cunha já não tem grandes esperanças: “Queremos continuar a fazer um campeonato que dignifique o nome do clube, pelo menos. As nossas esperanças de subir são quase nulas porque a distância já é grande e estão muitos clubes à nossa frente”, refere o presidente do Inter.
A formação milheiroense volta ao campeonato já este domingo à tarde, quando receber o Vilar FC.

André Cordeiro