Joana Neto é, com Mariana Alexandre, vice-campeã da Europa de sub-18 (fotos e áudio)

0
207

A atleta de voleibol do Gueifães, Joana Neto, sagrou-se vice-campeã da Europa em sub-18 no passado domingo, na final do campeonato que se disputou no Porto, junto ao edifício transparente. Joana Neto, que fez dupla com Mariana Alexandre, elevou a equipa de Portugal ao segundo lugar, depois de um 13.º lugar no ano passado.

Este é um feito inédito para o voleibol feminino e com uma atleta do Gueifães. “Nunca pensei chegar onde cheguei”, confessa Joana Neto. “O meu objectivo principal era conseguir ultrapassar a posição do ano passado. Consegui, e depois cada vitória que viesse era um bónus para mim”. O bónus foi-se repetindo até à final, onde foram travadas pela dupla russa composta por Olga Sokorina e Ksenia Dabizha. Faltou a vitória na última partida, mas mesmo assim Joana Neto considera o trabalho “mais do que satisfatório, porque ninguém estava à espera que alcançássemos o pódio”.

Joana Neto carrega agora a responsabilidade pesada de ter conseguido um feito inédito no voleibol feminino nacional. A atleta garante que vai “continuar a trabalhar nos centros de alto rendimento da Federação Portuguesa de Voleibol para ver se para o ano consigo participar em novos campeonatos”. Contida, Joana Neto garante que neste momento não tem “grandes ambições”, mas sim “alguns sonhos”. “Gostava de trabalhar nas esperanças para os Jogos Olímpicos. Isso era um grande sonho meu”, revela. Até lá, assegura que vai “trabalhar cada vez melhor para participar em novas competições para alcançar resultados como agora ou até melhores”, finaliza Joana Neto.

[audio:Joana_Neto_Gueifaes_vice.mp3]

Joana Neto e Mariana Alexandre já tinham batido a dupla russa que lhes infligiu a derrota, mas da segunda vez não correu tão bem. A dupla portuguesa chegou à final depois de afastar as polacas Agata Lewicka e Karolina Baran por 2-1. O ouro fugiu, mas ficou a prata, um feito inédito para o voleibol português e ficam também os sonhos da jovem atleta que milita no Gueifães.

Pedro Póvoas