Kickboxing: combate ou filosofia de vida?

0
314

O kickboxing da Maia vai estar representado em elevado número no campeonato nacional que se realiza já nos dias 28 e 29 de Maio, no Complexo Desportivo Municipal de Miranda do Corvo. Aos estreantes do Life Combat Folgosa juntam-se os já habituados a títulos Cristiana Mota (sénior) e André Albano (juvenil), em representação da Academia de Kickboxing da Maia. E os também estreantes a este nível competitivo Diogo Machado e Oleg Yermak (ambos juniores).

Ao todo, são quatro os atletas que vão representar o mais antigo ginásio da modalidade na Maia. Com cerca de 24 anos de existência, a Academia de Kickboxing da Maia soma cerca de 30 títulos nacionais, mais de 50 regionais e até um ibérico e um europeu. Ainda que o responsável pela academia, e treinador, Luís Delalande, admite que é apenas “uma elite” que chega à competição, não ultrapassando os dez por cento. Não porque não sejam capazes, mas porque o facto de ser um desporto de combate as faz ponderar e porque competir obriga também a uma mais intensa preparação física e técnica.

[audio:10_maio_delalande_competicao.mp3]

Mais intenso está já a ser o trabalho dos quatro atletas que vão aos nacionais. Incluindo a campeã regional da modalidade, Cristiana Mota, que é apenas uma das muitas mulheres que ali treinam. E em tão elevado número que o treinador Luís Delalande admite tratar-se “do ginásio com o maior número de praticantes femininos”, na zona Norte. Sendo um desporto de combate, essa representatividade obriga a um “ambiente mais light”, sobretudo no momento do contacto físico.

Apesar do número de praticantes do sexo feminino, e porque se trata de um desporto de combate, há ainda muito quem o associe a violência, a “socos e pontapés”. O treinador esclarece que o risco é ainda maior do que o que está associado à prática de futebol, até porque, no caso do kickboxing, “as pessoas estão previamente preparadas para, quando se é confrontado com um soco ou um pontapé, saberem-se defender, esquivar ou bloquear o golpe”.

[audio:10_maio_delalande_filosofia.mp3]

Regra geral, são 40 os atletas que praticam kickboxing nesta academia, com idades entre os cinco e os 45 anos e não só da Maia. Destaque ainda para o facto de já ter motivado diferentes gerações da mesma família a praticarem a modalidade, fazendo dela quase que “uma filosofia de vida”.

Os treinos realizam-se todas as terças e sextas-feiras, entre as 19h00 e as 20h30, no ginásio da Escola Secundária da Maia. É só aparecer e experimentar… Entre os que o vão fazendo, há quem escolha o kickboxing para manter a forma física ou se manter saudável, mas também quem queira praticar este desporto “pela preocupação da instabilidade e da violência que se vive na rua”, sublinha Luís Delalande.

Marta Costa