Maia Basket avança com a prática feminina em todos os escalões

0
189

Foi atingido e até ultrapassado o objectivo traçado pela direcção do Maia Basket Clube, no que diz respeito à prática desportiva feminina. O compromisso inicial era avançar com o escalão Sub 14, mas o elevado número de jovens interessadas em praticar a modalidade levou à constituição de equipas nos escalões de Sub 16, Sub 19 e seniores. Este último escalão irá competir no campeonato da 2ª Divisão Feminina. “Houve miúdas de outros clubes que nos procuraram. Nós apresentamos o projecto e acharam que era aliciante. Então, arrancamos com os escalões de Sub 14, 16 e 19. Na semana passada, tivemos um grupo de atletas seniores que se mostraram interessadas em representar o clube, e nós aceitamos o desafio”, conta o presidente da direcção do Maia Basket, Rui Lopes.

Com a criação dos novos escalões femininos, as equipas vão já começar a competir esta temporada. “Temos já atletas suficientes para competir esta época, e contamos que apareçam mais miúdas para fazer parte do Maia Basket”, diz o dirigente.

Em termos de resultados competitivos nos escalões de formação (Sub14,16 e 19), Rui Lopes esclarece que não é política do clube estabelecer objectivos. “Vamos trabalhar para que os resultados sejam os melhores e conseguir conciliar a parte da formação com a parte da competição. O que vier, virá pelo trabalho dos treinadores e dos escalões”, argumenta Rui Lopes. Sem adiantar nomes, o plantel sénior feminino é constituído maioritariamente por atletas que vieram de outros clubes, “algumas até já tinham deixado de jogar e optaram por reiniciar, porque encontraram velhas amizades. São atletas que têm qualidade para integrar o Maia Basket”, garante o presidente.

De resto, o clube não vai competir esta temporada no escalão masculino de Sub 20, assumindo toda a responsabilidade pelo facto. Rui Lopes diz que, nos últimos anos houve uma “falha” na captação de jovens que estiveram nos escalões de formação do clube. “Assumimos que a falha será sempre do Maia Basket, porque não conseguimos captar nem cativar esses jovens para continuarem. É um problema que outros clubes se debatem, porque são faixas etárias complicadas, é uma fase em que os miúdos tomam outras opções, como a universidade”, diz Rui Lopes. Assim, sem atletas suficientes para formar uma equipa masculina de Sub 20, o clube comunicou a decisão aos atletas, no passado fim-de-semana, e está a tentar colocá-los noutros clubes com condições para competirem no seu escalão.

Fernanda Alves