Maia Bike-Team em risco para 2011

0
214

A época de ciclismo já terminou e a Maia Bike-Team entra em período de balanço da equipa de sub-23 que até teve resultados significativos. A parte mais complicada será reunir apoios que permitam continuar em 2011.
Nesta temporada de regresso da formação maiata ao panorama velocipédico nacional com uma equipa de sub23, a Maia Bike-Team esteve em todas as provas da categoria e terminou sempre com boas classificações quer em termos individuais, quer em termos colectivos.

O director-desportivo da equipa, Paulo Couto, classifica 2010 como “uma época muito positiva até porque disputámos muitas provas com os profissionais” e realça os resultados alcançados. “Conseguimos bons resultados nas provas onde entraram profissionais. Nas provas de sub-23 conseguimos um segundo lugar na Taça de Portugal, tivemos dois homens nos dez primeiros na Volta a Portugal do Futuro e na Volta à Madeira. No campeonato também conseguimos um segundo e um quatro lugares. Podíamos ter ganho a Taça, porque o Fábio Palma chegou a liderar e perdeu por poucos pontos. Além disso tivemos um ciclista na Volta a Portugal a representar a Selecção Nacional e vencemos a classificação sub23 da Volta a Lugo, em Espanha”, enumera Paulo Couto.

O director-desportivo considera ter “uma equipa reforçada e mais madura” no final da época e refere ter havido alguma evolução: “É-nos sempre grato registar que com o trabalho e organização, os corredores têm evoluído e no próximo ano podem ter melhores resultados. Eles estão a aprender e o contacto com os profissionais serve para isso mesmo. As provas por etapas de vários dias ajudaram muito”.

Os bons resultados dos ciclistas têm suscitado o interesse das equipas profissionais: “O Fábio Palma recebeu uma proposta e não sei se já decidiu. O Sandro Pinto e Flávio Gomes também estão na expectativa de passar a profissionais, mas as equipas ainda estão a reunir apoios e logo se verá”, confidencia Paulo Couto.

Quem tem encontrado algumas dificuldades para se manter na próxima época é a própria Maia Bike-Team. Paulo Couto lamenta essa situação: “Não sei iremos ter equipa para o próximo ano. Estamos com sérias dificuldades. Foi-me comunicado pelo vereador da Câmara da Maia que irá haver uma redução do orçamento. Estou a tentar reunir patrocínios e irei esperar até ao fim de Outubro, mas é provável que fechemos portas. Encontramo-nos numa situação idêntica à de 2008 que não nos permite planear o próximo ano da melhor forma. Infelizmente andamos sempre a fazer uma equipa de remedeio”, refere amargurado o director desportivo.

André Cordeiro