Maia Lidador: “Queremos voltar a subir”

0
856

O Maia Lidador viu confirmada a subida à 1ª Divisão Distrital Série 1. Depois do 3ª lugar na 2ª Divisão na época 2009/2010, os maiatos beneficiaram da desistência de algumas formações, nomeadamente o Progresso, para garantirem a subida de divisão.

O treinador Hugo Reis, que assumiu o comanda da equipa a meio da época e já viu confirmada a continuidade, afirma que a época ”até foi positiva” e adianta que já se esperava uma subida: “O objectivo era terminar nos três primeiros lugares porque se falava num alargamento das séries. Isso não aconteceu, mas a desistência de algumas equipas tornou possível concretizarmos esse objectivo”, diz o treinador maiato.

Hugo Reis revela ainda que a temporada “acabou por ser conseguida”, mas deixa a ideia de que devia ter sido diferente: A época podia ter sido melhor. Eu cheguei já estava cumprida metade da temporada e vim porque a direcção entendeu que as coisas não estavam bem. Fizemos uma segunda volta de grande nível onde só tivemos uma derrota. Essa derrota foi pesada e, devido à tenra idade dos jogadores, pensei que iam demonstrar a recuperar psicologicamente. Isso no aconteceu e continuámos no bom caminho, alcançando a subida que era o mais importante”, atira o treinador.

O Maia Lidador já regressou aos treinos, começando a preparar o início do campeonato marcado para 5 de Setembro no terreno do Serzedo. O técnico dos maiatos continua a postar numa equipa jovem para seguir as pisadas do histórico Salgueiros: “Vamos manter cerca de 95% do plantel. Temos um 0lantel muito jovem c0om muita qualidade que podem fazer coisas engraçadas seguindo as pisadas do Salgueiros que, com muito miúdos, conseguiu subir de divisão em dois anos consecutivos. Estamos confiantes nesta equipa. Queremos lutar pela subida porque temos valores suficientes para isso. Sabemos que é difícil porque há equipas que se reforçaram muito para atacar a subida à Honra. No entanto somos ambiciosos e nem outra coisa nos podia passar pela cabeça que não fosse a subida”, finaliza Hugo Reis.

André Cordeiro