Maiastars queixa-se de falta de apoio das empresas maiatas

0
117

O presidente do Maiastars, José Carlos Ribas, acusou as empresas maiatas de não quererem apoiar o clube. Em declarações a PRIMEIRA MÃO, José Carlos Ribas afirmou que tem procurado esse apoio mas tem-lhe sido sempre negado: “As empresas não querem apoiar o Maiastars. Temos tentado e batido à porta das empresas mas elas dizem-nos sempre que não é possível devido à crise ou porque já têm o marketing fechado. A verdade é que temos ido lá em momentos diferentes do ano e a resposta é a mesma”.

O presidente do clube maiato de andebol feminino afirma mesmo que podia nem ser num contrato publicitário: “Apesar de não termos publicidade nos equipamentos, eu já nem peço um contrato publicitário. Podia ser apenas um patrocínio social, porque devido às nossas vitórias e resultados, eu acho que as empresas teriam retorno”.

No que diz respeito às razões para estas respostas negativas, José Carlos Ribas aponta uma questão cultural. “O andebol masculino tem sempre apoios. Mas no feminino isso já não acontece. No entanto, acho que não é uma questão de falta de divulgação. Era preciso haver uma mudança de mentalidades para alterar esta situação”. O dirigente maiato aponta outros casos semelhantes: “O próprio Castelo da Maia, um clube que já tem raízes implementadas no concelho, terminou com a equipa se seniores femininos por falta de orçamento. É decididamente uma questão cultural”.

No que diz respeito à avaliação desta temporada, José Carlos Ribas fala num balanço positivo: “Em seniores continuamos entre ao melhores clubes portugueses. Aliás, nós participámos numa competição europeia, a Taças das Taças, com o mesmo orçamento dos outros anos, e portámo-nos bem. Nas camadas jovens fomos campeões nacionais de juvenis, vice-campeões de minis e estivemos presentes em várias fases finais. O balanço só podia ser positivo”. O presidente do Maiastars aponta também a formação como um caso de sucesso: “Temos uma das melhores escolas de formação da Europa. A comprovar isso está o facto de no final de um torneio em Espanha, que vencemos, os clubes espanhóis cobiçaram de imediato as nossas jogadoras, que só têm 16 anos”.

Em relação à preparação da nova época, o dirigente maiato afirma que “vai haver um novo elemento na equipa técnica da plantel sénior, mas ainda não sei se será um treinador principal”. Relativamente a mexidas na composição do plantel, José Carlos Ribas reafirma uma posta na formação: “A nossa aposta inicial passa sempre por apostar nas atletas saídas das nossas camadas jovens, mas por causa do orçamento reduzido isso tornou-se uma necessidade. Vamos ter 15 jogadoras que vão alternar entre a equipa de juniores e a equipa principal. O plantel vai ser composto por 22 atletas e há algumas contratações, mas não posso estar a revelar agora quem são”.

O presidente do Maiastars também já definiu os objectivos para todas as equipas: “Na equipa sénior queremos fazer melhor do que no ano passado. Nas camadas jovens esperamos marcar presença em algumas finais nacionais e ganhá-las. Devido ao nosso bom trabalho com a formação isso é quase inevitável”, finalizou José Carlos Ribas.