Mau início comprometeu objectivo

0
131

Perto, tão perto que quase lhe podiam tocar. A Académica da Maia/ISMAI ficou mesmo muito perto do apuramento para a fase final da 2ª Divisão de andebol em Seniores Masculinos, objectivo assumido desde o início de época. Os maiatos acabaram a fase regular com os mesmos 44 pontos do terceiro AD Maria Balaio, mas a diferença de golos no confronto directo pendeu para os homens do antigo ISAVE.

Na última jornada da 1ª fase, a Académica da Maia/ISMAI foi vencer ao Pavilhão do Lamego por 28-37, mas de nada adiantou para as suas aspirações. O técnico maiato, Paulo Sá, mostrou alguma frustração por terem falhado o objectivo e apontou o mau começo da época com razão principal: “Foi por um milímetro que não conseguimos. Não o conseguimos fundamentalmente pelos primeiros cinco jogos do campeonato, foi aí que deitámos tudo a perder. Nós começámos tarde a época, com alguma desorganização inicial do clube, que impediu um início regular e pagámos caro essa situação”.

Apesar disso, Paulo Sá realça a boa campanha da equipa: “Começámos com quatro derrotas e um empate, mas nos últimos treze jogos vencemos doze e empatámos outro. Fizemos um excelente campeonato mas não conseguimos o apuramento. Foi uma fase muito renhida. Nós na Zona Norte, com 44 pontos, não nos conseguimos apurar e o terceiro da Zona Sul foi apurado com 40 pontos. Isto mostra a competitividade que existiu. Fomos também a equipa com mais golos da 2ª Divisão, com mais trinta golos que a segunda equipa. Penso que se estivéssemos na fase final seríamos um grande candidato à subida”.

Os maiatos vão agora jogar a fase de apuramento que vai decidir quem desce de divisão juntamente com Académico FC, Ginásio de Santo Tirso, S. Paio Oleiros, Avanca, Lamego e Feirense. A Académica da Maia/ISMAI começa com 22 pontos, mais dez que o sexto classificado, lugar que já dá direito a descida, o que lhes garante algum conforto na tabela.

Paulo Sá lamenta a falta de objectivos até ao final da época: “Não atingimos a fase final, já fomos eliminados das Taças de Portugal e Presidente da República, ficámos sem nenhuma competição onde possamos lutar por objectivos elevados. Temos que redefinir objectivos e começar a preparar o futuro já a partir do mês de Fevereiro. Preparar o futuro do clube, da equipa sénior e potenciarmos os atletas mais jovens”, concluiu Paulo Sá.

André Cordeiro