Mau início não é preocupante

0
104

A Associação Cultural e Desportiva Coopermaia não está a ter um início de campeonato muito auspicioso. Em seis jornada na Divisão de Honra de Futsal da Associação de Futebol do Porto conseguiram apenas duas vitórias, 2-1 frente ao Académico de Sangemil e 6-2 frente ao Lever, e estão abaixo da linha de águas, na 13ª posição, com seis pontos.

No entanto, o treinador da Coopermaia, Francisco Fardilha, não considera esta situação alarmante: “De certa forma, é um início normal devido às muitas limitações que temos tido em termos de lesões e castigos. É também uma fase de adaptação. Não esperávamos chegar à Divisão de Honra e começar a ganhar os jogos todos. Não há nenhum sinal de alarme, encaramos isto com calma porque estamos apenas na sexta jornada que corresponde a um quinto do campeonato. Temos também que nos adaptar a uma nova divisão, o que não é fácil porque passámos de 40 minutos corridos, com cerca de 25 minutos de tempo útil, para quase duas horas de jogo. No entanto, não andamos demasiado preocupados, mas sabemos que temos de ganhar jogos”.

O técnico da Coopermaia aponta as mudanças na equipa como outra das razões para este início: “Houve um grande mudança a nível do plantel. Não pagamos nada a ninguém e isso também faz com que alguns atletas aproveitem outros voos. Há também algumas limitações devido a jogadores que terminam os estudos e passam a ter emprego, deixando de poder jogar e treinar. Naturalmente que fico feliz por eles, devido à conjuntura que vivemos, mas causa-nos algumas limitações”.

Na última jornada os maiatos forma derrotados em casa do Santo António de Grijó, por 10-5. Francisco Fardilha aponta uma má primeira parte como razão para a derrota tão pesada: “Foi uma primeira parte absolutamente desastrosa em que sofremos seis golos e não marcámos nenhum. Foi um daqueles dias brilhantes para o Grijó e maus de mais para nós. Na segunda parte entrámos bem, marcámos dois golos no primeiro minuto, mas depois sofremos o sétimo e o jogo esteve parado quase meia hora para o guarda-redes adversário ser assistido. A partir daí não havia muito a fazer”, disse o técnico.

Na sétima jornada do campeonato, a Coopermaia recebe no Municipal da Gueifães a Cafetaria do Ouro, que no passado fim-de-semana goleou o Arsenal de Parada, outra equipa da Maia, por 11-3. O técnico dos maiatos alerta para a dificuldade da partida: “No passado fim-de-semana, a Cafetaria do Ouro teve um resultado que para nós foi surpreendente. Onze golos ao Arsenal da Parada é que não é normal. Mas vamos tentar aproveitar também a nossa insatisfação perante a derrota porque não é normal sofrermos dez golos num jogo, nem termos este tipo de início”, concluiu Francisco Fardilha.

André Cordeiro