Natação: Futuro constrói-se de braçada em braçada

0
210

O Clube da Natação da Maia (CNM) tem motivos para sorrir com os resultados da época 2000/2010. Os maiatos arrecadaram um título de Campeão de Inverno e uma medalha de bronze nos Campeonatos de Verão. Ainda conseguiram cumprir os objectivos em termos colectivos e a vertente de Natação Adaptada continua em grande.

O director técnico do CNM, José Santos Silva, afirma que foi “uma época com bons resultados e onde atingidos os objectivos em todos os escalões”. O técnico dos nadadores maiatos realça ainda as medalhas alcançadas: “Conseguimos, através do Luís Neto, um título de Campeão Nacional de Inverno nos 50 metros bruços o que lhe valeu uma chamada à Selecção Nacional. Já neste final de época, a Joana Maia conseguiu uma medalha de bronze nos 200 metros bruços. No resto do ano, conseguimos que os atletas fossem batendo os recordes pessoais repetidamente o que demonstra evolução. Nas categorias de cadetes e infantis estivemos em mais provas com mais miúdos. Acho que foi uma temporada bem conseguida”, atira José Santos Silva.

O técnico maiato realça ainda a Natação Adaptada onde “alcançámos sempre grandes resultados e grande marcas, tanto que temos dois nadadores que irão representara a Selecção Nacional em Outubro nos Campeonatos do Mundo, que se realizam em Taiwan”.
Ainda assim, José Santos Silva clama por melhores condições de trabalho para os nadadores maiatos: “Com as condições que temos, os resultados foram excelentes. Temos poucos locais de treino e só podemos treinar numa piscina de 50 metros nos meses de Junho e Julho, quando em Dezembro as provas passam a ser em piscinas dessa distância. Além disso, precisávamos de patrocinadores e maior apoio da Câmara da Maia”, refere o técnico.

Por agora os atletas vão de férias, excepto os da natação Adaptada e os que irão participar em provas de águas abertas, mas os objectivos da próxima temporada já estão definidos: “Não podemos ser demasiado exigentes com os atletas, porque são jovens e porque a natação deve ser encarada como um modo de vida. Sabemos que nem a formação masculina nem a formação feminina estão preparadas para subir de divisão. Por isso queremos repetir os feitos deste ano. Nos escalões mais jovens vamos continuar o trabalho que tem sido feito para que eles atinjam a plenitude no futuro. Na Natação Adaptada as ambições são fortes, até pelas marcas que os nossos atletas têm feito”, concluiu José Santos Silva.

André Cordeiro