Os Maiatos temem perder a sua sede em breve

0
1501
Apresentação Os Maiatos 2020

Os Maiatos prometem manter os bons resultados, apesar de todas dificuldades originadas pela pandemia de Covid-19. No entanto, há escassez de patrocínios e o clube teme perder em breve a sua sede, oferecida pela Câmara Municipal no Aeródromo de Vilar de Luz.

Paulo Ribeiro, presidente do Grupo Desportivo Os Maiatos, falou ao jornal Primeira Mão acerca das apostas para 2020. Nesta conversa, o dirigente abordou assuntos relacionados com os patrocínios e apoios que são necessários para a associação, da possível perda das instalações da coletividade e das atividades que realizam para conseguirem mais atletas.

O GD Os Maiatos, que existe desde 2003, apresentou a sua equipa de ciclismo no dia 6 de março. Esta associação, apesar de ter começado com outras modalidades, sempre demonstrou mais afinco e interesse no ciclismo, desporto pelo qual tem vindo a disputar títulos nacionais e internacionais.

Segundo o presidente desta associação, o ano que culminou foi dos melhores para Os Maiatos, uma vez que conseguiram vários títulos, sendo a quarta vez que se sagram campeões na taça de Portugal em estrada feminina, bem como em enduro, duas das modalidades de ciclismo em que o grupo compete. De salientar também que em 2019 ficaram em terceiro lugar em XCO(Cross-Country).

Taça de Portugal de estada feminina cancelada

Para o ano de 2020, Os Maiatos contam com cerca de 40 atletas para disputarem diversas provas de ciclismo, muitos deles também chamados para a seleção Nacional. Com esta equipa a associação conta defender os títulos ganhos em 2019.
Um dos contratempos desta pandemia de Covid-19, que está a originar constrangimentos em todas as áreas, resulta desde já no cancelamento da taça de Portugal de estrada feminina, que iria decorrer em maio.

Nesta prova Os Maiatos pretendiam alcançar o máximo de prémios nas diferentes vertentes, infelizmente este desafio fica colocado de parte, como nos explicou Paulo Ribeiro.

A vertente do ciclismo à qual o Grupo Os Maiatos dá principal destaque, sublinha Paulo Ribeiro, é o ciclismo de Estrada feminino, na qual a associação tem mais atletas.

O presidente da associação refere que as grandes apostas para este ano incidiam em atletas que já são grandes nomes do ciclismo em Portugal, dando exemplos de Marta Branco, Inês Trancoso e Rita Reis, no ciclismo de estrada, e Rui Ferreira no Enduro.

Para este ano, a equipa está a contar participar em cerca de 30 provas nacionais, e até em Espanha, demonstrando assim a força que Os Maiatos representam no ciclismo nacional. A ver vamos se o novo coronavírus o permitirá.

Clube receia perder as instalações no aeródromo

Apesar dos bons resultados que a equipa tem vindo a apresentar, esta poderá perder as suas instalações, que foram cedidas pela Câmara Municipal da Maia, uma vez que o local onde a associação tem a sua sede, o Aeródromo de Vilar de Luz, está aos poucos a ser vendido, sendo que o espaço que dispunham no início e onde fizeram várias obras de melhoramento, está-lhes a ser retirado.

Neste momento, o espaço onde guardam toda a documentação e material necessário é de fácil acesso, referindo Paulo Ribeiro, que, muitas vezes acontece ser frequentado por pessoas estranhas ao clube.

Ainda este ano Os Maiatos poderão ter que sair deste espaço que tinha sido cedido pelo antigo presidente da Câmara, Bragança Fernandes, ficando assim sem instalações permanentes.

Este espaço faz imensa falta, dado que é onde podem guardar os seus pertences e valores, bem como um local de treinos, uma vez que à volta deste aeródromo tinha pistas já delineadas, tanto de ciclismo como de provas que se realizam em monte.

Na altura da cedência do espaço tinha sido também prometida a criação de um centro de estágio e alto rendimento, onde atletas tanto do clube como de fora poderiam treinar em melhores condições. Apesar de não ter sido assinado nenhum acordo entre o clube e a Câmara, para a execução desta obra, esta tinha sido falada como um possível investimento no clube e a sua melhoria.

O certo é que Paulo Ribeiro diz que, até à data, não foi sequer discutido, sendo que o clube não recebeu mais nenhuma informação sobre a execução deste projeto.

Mesmo com estes problemas que o clube está a passar, continua com força na formação de novos ciclistas, aceitando sempre, de bom agrado, todas as pessoas que se queiram inscrever, tanto profissionais como amadores.

Atividades anuais com crise de patrocínios

Para isso, ao longo do ano desenvolvem várias atividades, sendo uma das principais o campeonato da Maia, que já organizam desde 2004 em parceria com Câmara Municipal. Outra das atividades é a gala do ciclismo, que é organizada todos os anos para dar a conhecer e angariar mais atletas para o clube, bem como a participação no dia da mobilidade europeia, organizado pela Câmara da Maia, fazendo neste dia atividades relacionadas com o ciclismo.

Apesar deste já ser um clube com bastantes atletas, os patrocínios e os apoios são cada vez menos. Paulo Ribeiro, presidente da associação, pede que as empresa do concelho da Maia apoiem o desporto e, neste caso, o clube Os Maiatos, para assim poderem reduzir custos que suportam todos os anos, como também ajudar os atletas que fazem parte desta associação, uma vez que todo o equipamento e logística que acarreta, não é propriamente barata.

Para o presidente do Grupo Desportivo Os Maiatos, tem sido em muito devido à direção que tem a seu lado que tem havido um crescimento da coletividade de ano para ano, bem como dos seus atletas que têm obtido boas classificações nas provas.

O dirigente espera que nos próximos anos continue com tão bons resultados como tem vindo a conquistar e que toda esta situação da sede e da escassez de patrocínios possa ter um outro desenvolvimento, esperando contar com a boa vontade da Câmara, assim como de apoios privados que possam acontecer.

(Fernando Lopes, estagiário do curso Ciências da Comunicação da Universidade Fernando Pessoa)