Pedro da Clara é “um atleta mais completo”

0
781

Terminou a época de boccia, num ano marcado por várias competições internacionais. Falamos do europeu e do mundial da modalidade, que este ano contaram com a participação de um atleta maiato. Depois dessas experiências, em especial o Campeonato do Mundo, Pedro da Clara assume-se como “um atleta mais completo”, mas com a modéstia de reconhecer que “há sempre arestas a limar para que cada vez esteja mais à altura dos desafios”.

O último desafio da temporada foi o Campeonato de Portugal de Boccia, que decorreu no último fim-de-semana, no Estádio Universitário de Coimbra, numa organização conjunta da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física e da Paralisia Cerebral – Associação Nacional de Desporto. Pedro da Clara estreou-se neste campeonato com três vitórias e, confessa, “com alguma facilidade”. O primeiro adversário foi José Costa (Póvoa de Varzim), que derrotou pelos expressivos 8-0. Seguiu-se o triunfo por 7-2 frente a Alcino Cardoso (Lisboa), defrontando nesta primeira fase mais um atleta da capital, Nuno Guerreiro, que também derrotou, por 5-3.

Ainda no sábado, Pedro da Clara disputou as meias-finais, tendo encontrado maiores dificuldades frente a um atleta do SC Braga, que esteve em destaque nesta prova. Ainda assim, o maiato venceu por 4-2 e carimbou a passagem à final de domingo, cumprindo o objectivo que tinha delineado. Mas acabou por ser derrotado por 5-2, por Fernando Pereira, “num bom jogo que acabou por vencer com justiça”, admite.

O maiato terminou em segundo lugar este Campeonato de Portugal de Boccia, tendo conquistado ainda a medalha de bronze de pares. Depois da derrota com o SC Braga, por 0-7, a equipa do Porto derrotou a de Coimbra, por 10-0 e foi disputar a meia-final com o par misto APPC/Póvoa. Afastados por 1-8, restava disputar os terceiro e quarto lugares, tendo levado a melhor sobre os de Lisboa.

E depois de mais um ano em que “os objectivos foram, em geral, cumpridos”, Pedro da Clara só deve parar mesmo em Agosto, ao contrário das épocas anteriores em que a interrupção era mais longa. O atleta do desporto adaptado do FC Porto chegou a acordo com o clube para prosseguir com os treinos este mês e, em Setembro, “recomeçar em força novamente”. Estes são os planos para os treinos, não se aplicando à competição, que só arranca oficialmente em Março. Para não quebrar totalmente o ritmo contribuem alguns clubes, citando como exemplo o SC Braga, ao organizarem torneios de início de época. E mais não é, admite, por “falta de apoio da maior parte das câmaras do país”, já que o país “só vive para o futebol e esquece tudo o resto!”, lamenta Pedro da Clara, numa altura em que as atenções estão voltadas para o Campeonato do Mundo de futebol, a decorrer na África do Sul.

Marta Costa