Pequenas grandes máquinas a toda a velocidade no pavilhão de Crestins

0
157

O Pavilhão Municipal de Crestins, em Moreira da Maia, recebeu a sétima edição do 24 Horas Slot Car. Os pequenos, mas potentes automóveis de corrida, começaram a trabalhar passavam poucos minutos das 14h00 do passado sábado, e só pararam no domingo, por volta da mesma hora.
Foi organizada pela Slot&Go, e contou com o apoio da Câmara Municipal da Maia.

A prova tenta recriar o formato e o espírito das famosas 24 horas de Le Mans, com carrinhos de pista à escala 1/32. Todas as equipas utilizaram o mesmo veículo, o Reynard 2KQ da Sloting Plus.
É a competição que reúne o maior número de praticantes em Portugal, e que tem como objectivo “promover a modalidade e proporcionar aos entusiastas um evento único no país”, sublinhou José Ferreira, organizador do 24 Horas Slot Car.

Em competição estiveram 26 equipas, que movimentaram cerca de centena e meia de pilotos. Cada equipa era composta por quatro a seis pilotos. Neste tipo de provas, cada um dos elementos da equipa, “vai-se revezando na condução, na assistência técnica – se houver avaria, ou se houver necessidade de manutenção, ir às boxes reparar”, explicou José Ferreira. O objectivo é manterem o carro a rolar para tentarem chegar ao final das 24 horas com o maior número de voltas.
E a equipa que mais voltas conseguiu dar ao longo de 24 horas, foi a Slot Arrábida. A equipa do Aeroclube – Slot Madeira ficou em segundo, seguida do Clube Slotcar Trofa II.

Esta última, partiu como uma das equipas favoritas da prova, tendo vencido a primeira ronda. A equipa trofense foi constituída há cinco anos, e desde então tem vindo a participar nas provas de Slot Car que se vão realizando no país. José Dias, é um dos cinco elementos que constituem a equipa trofense. “Participamos em provas nacionais, no estrangeiro, provas do campeonato europeu e mundial, e nesta prova. A nível nacional não há provas como esta, tão longas, e por isso, tentamos estar sempre presentes”, referiu.

Sendo único no país, o evento começa já a ser referenciado além fronteiras. A edição deste ano, contou inclusivamente com a participação de uma equipa do Brasil, a Espaço Fórmula Slot, que é uma pequena empresa situada na cidade de Piracicaba, em São Paulo. O proprietário, Fernando Bueno, acompanhado de mais três elementos, deslocou-se propositadamente a Portugal para estar presente na prova. No Brasil, a modalidade é praticada com recurso ao magnético. Em Portugal e na Europa, isso já não acontece. Por isso, “é uma nova experiência”, referiu Fernando Bueno. “No Brasil utilizámos somente o magnético. Viemos para conhecer e tentar introduzir isso no Brasil”, acrescentou. Questionado sobre as dificuldades de correr sem o magnético, Fernando Bueno disse que “é bem mais difícil, mas mais gostoso. Este tipo de competição é muito bom, mesmo”.

Mais do que uma modalidade, o Slot Car é uma paixão para os praticantes. “É seguramente uma paixão. Paixão pelos automóveis, em primeiro lugar, e depois, por uma modalidade que é muito interessante, é viciante”, garantiu José Ferreira, também um apaixonado pelas miniaturas de quatro rodas.
Proporcionando momentos de pura adrenalina, esta é uma modalidade que pode reunir na mesma pista, pessoas dos 8 aos 80, pais, avós e netos, de todas as classes sociais, transformando-se num agradável convívio familiar.

Fernanda Alves