Rita Ferreira e Ana Rita Teixeira distinguidas “Mulheres Inspiradoras no Desporto pela ACTIVA

0
389
Rita Ferreira e Ana Rita Teixeira
Rita Ferreira e Ana Rita Teixeira, do Acro Clube da Maia

Os Prémios ACTIVA 2019 voltaram a distinguir cinco Mulheres Inspiradoras em várias áreas, sendo que, na categoria Desporto, o prémio foi entregue a duas ginastas do Acro Clube da Maia.

A revelação das premiadas teve lugar no dia 13, em Lisboa, altura em que foi revelado que Rita Ferreira e Ana Rita Teixeira são as Mulheres Inspiradoras ACTIVA 2019.

Ginastas do Acro Clube da Maia, Rita Ferreira e Ana Rita Teixeira conquistaram uma medalha de ouro na Taça do Mundo de Ginástica Acrobática, em 2019. Em novembro, a dupla chegou à prata na final de equilíbrio no Campeonato da Europa de Ginástica Acrobática, em Israel. Ganharam depois a medalha de ouro da prova de ‘all around’, ganhando o título de campeãs da Europa.

A dupla de ginastas maiatas ganhou a distinção, mas havia outra maiata nomeada para este galardão. Era Filipa Martins, de ginástica artística. Também atleta do ACM, Filipa Martins já participou nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, onde conseguiu a melhor classificação de sempre de uma portuguesa em ginástica artística (37ª posição).

Em 2019 já garantiu o seu lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que têm lugar este ano.

Também estava nomeada para esta categoria dos Prémios Mulheres Inspiradoras do Desporto Salomé Rocha, de atletismo, que realizou uma prova duríssima quando terminou este ano a maratona dos Mundiais de Atletismo de Doha, no Qatar, onde desistiram 23 das 68 atletas, e teve que ser levada da meta em cadeira de rodas para o posto médico. Apesar de ter terminado em 28º, a maratonista já tem mínimos para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio.

Os prémios Mulheres Inspiradoras distinguem ainda as categorias: Artes, Negócios, Ciência, Solidariedade e Carreira.
No Desporto, as jovens da Maia têm direito à distinção. Na edição anterior também estiveram nomeadas ginastas do Acro Clube da Maia, mas o prémio foi para Telma Monteiro.