Taça Davis disputa-se na Maia

0
95

O Complexo Desportivo da Maia vai receber, entre 5 e 7 de Março, o embate de Portugal – Dinamarca, correspondente à primeira ronda do Grupo II da Zona Europa/ África da Taça Davis.

O vereador do Desporto da Câmara Municipal da Maia, Hernâni Ribeiro, afirma que se trata de um evento com “ uma importância muito grande” e explica porquê: “Estamos a falar de um jogo da Selecção Nacional, são partidas a eliminar, e portanto tem um interesse muito elevado, quer para a promoção da modalidade aqui no Norte, quer para a projecção da Maia como capital do Desporto”.

Frederico Gil e Rui Machado devem fazer parte dos escolhidos do seleccionador nacional Pedro Cordeiro para enfrentar os dinamarqueses que têm Frederik Nielsen como cabeça-de-cartaz.

O sorteio ditou que fosse Portugal a escolher o local e a comitiva nacional optou pela Maia. Hernâni Ribeiro aponta as razões que estiveram na base desta decisão: “A primeira é a qualidade das instalações, com um court central desta qualidade. Em Portugal, penso que só o Complexo do Jamor tem um court central com esta qualidade. Por outro lado, a Maia tem talismã para a Selecção Nacional de Ténis. Já foram cá disputados cinco encontros no passado e a Selecção venceu sempre. Além disso, a relação que temos com a Federação Portuguesa de Ténis devido à organização de vários eventos que levamos a cabo durante o ano e o trabalho que fazemos junto dos jovens para a divulgação da modalidade também ajudou. É o somatório de todos estes motivos que fez com que a Maia fosse escolhida para receber este encontro”.

O vereador da autarquia maiata acredita também que a etapa da Taça Davis irá ter muito público nas bancadas: “Mesmo que nunca tenha existido um tenista português no top 20 do ATP, o ténis é uma modalidade que desperta a atenção dos maiatos. Não é por acaso que temos nas nossas escolas mais de 200 jovens a praticar a modalidade. Por isso, é uma modalidade que as pessoas gostam de ver, de praticar nos seus tempos livres. Penso que será um sucesso, quer em termos desportivos, quer em termos de adesão do público”.

Se Portugal conseguir bater a Dinamarca, a selecção nacional vai encontrar-se com a equipa vencedora do encontro entre o Egipto e o Chipre. Hernâni Ribeiro não fecha a porta a um regresso da comitiva a terras do Lidador: “Nós estamos sempre disponíveis porque contribui para o fomento da modalidade e, por outro lado, também promove o nome da Maia no país e internacionalmente. São motivos de sobra para receber estes eventos”, concluiu o vereador maiato.

André Cordeiro