Taça Davis joga-se a partir de hoje na Maia

0
91

O Complexo Desportivo da Maia vai receber, entre hoje e domingo, o embate de Portugal – Dinamarca, correspondente à primeira ronda do Grupo II da Zona Europa/ África da Taça Davis. Já se conhece o calendário dos jogos, depois do sorteio que aconteceu ontem, ao início da tarde, no Salão Nobre da Câmara Municipal da Maia.

O escrutínio ditou que Rui Machado é o primeiro a entrar nos courts maiatos durante o dia de hoje, para defrontar o número um dinamarquês Frederik Nielsen. No mesmo dia, outro número um, desta vez o nacional Frederico Gil, vai jogar contra Martin Pedersen. No sábado, é o dia do encontro entre pares. Frederico Gil e o maiato Leonardo Tavares defrontam Frederik Nielsen e Martin Pedersen. No último dia, domingo, os courts do Complexo de Ténis da Maia recebem o encontro mais importante do torneio. Frederico Gil abre as hostilidades do “dia grande” do torneio, no confronto com Frederik Nielsen. Esta eliminatória fecha com o desafio entre o número dois nacional Rui Machado e Martin Pedersen.

A jogar contra atletas que estão lugares abaixo no ranking ATP, Frederico Gil é cauteloso e adverte que "os rankings muitas vezes não significam o valor dos jogadores em campo". Ainda assim, garante que os encontros "são para ganhar". De acordo com o número um nacional, "a equipa está confiante depois de uma boa semana de treinos aqui na Maia". Treinos que foram de "adaptação difícil ao frio", já que Frederico Gil esteve há pouco tempo na América do Sul. Apesar da diferença de temperaturas, Frederico Gil encontrou um "court central bem tratado", que o ajudou nos treinos. Para as partidas deste fim-de-semana, o líder nacional em ténis espera "muitas bandeiras e muitos gritos" para puxar pela delegação portuguesa. O número dois, Rui Machado, também pede apoio por parte dos adeptos portugueses e à semelhança de Frederico Gil, elogiou o Complexo de Ténis da Maia, embora o considere "bastante grande, e é mais difícil ter um ambiente mais acolhedor".

"A nossa intenção é sempre vencer", confessa o seleccionador nacional Pedro Cordeiro. Mas a tarefa não vai ser fácil, de acordo com o timoneiro dos tenistas lusos: "Sabemos de antemão que não vai ser fácil, é uma prova com características únicas". Mesmo assim, Pedro Cordeiro garante que "os atletas estão a representar o país e vão fazer tudo para obter boas prestações". E à semelhança dos atletas que lidera, o seleccionador nacional pede também o "forte apoio do público" para justificar o factor casa. Não só no "dia grande", o domingo, mas já a partir de hoje.