Uma longa e muito difícil Volta a Portugal

0
160

A edição número 73 é a mais extensa Volta a Portugal dos últimos anos (desde 2003), apesar de manter o mesmo número de etapas, 10, às quais foi acrescentado o prólogo, perfazendo os habituais 11 dias de competição.
Há algumas novidades, como a estreia absoluta das cidades da Trofa e Sabugal como pontos de partida e ou chegada de etapas, o regresso da Covilhã, nomeadamente a escalada à Serra da Estrela pela vertente Covilhã – Penhas da Saúde e também o regresso da Sertã, que esperou 35 anos para ver uma chegada da Volta.

Joaquim Gomes, director da Volta a Portugal Jogos Santa Casa, salienta que “este é um evento com mais de 80 anos de história que ano após ano se renova e tenta surgir sempre com novos predicados. Como organizadores assumimos a responsabilidade de continuar a manter intactos os níveis de popularidade da Volta e, por essa razão, desenhámos para esta edição um traçado que vai contribuir para um belo espectáculo desportivo”.

É um traçado para os especialistas nas subidas, num apelo às características trepadoras dos mais fortes. “Os trepadores terão uma palavra importante num contexto com muita montanha disputado sobretudo no Centro e no Norte do país, mas o vencedor terá de ser alguém muito completo”, salienta.
A Volta começa hoje com o Prólogo, em jeito de contra-relógio individual, em Fafe. São apenas 2,2 quilómetros e serve apenas para estabelecer a primeira liderança. Amanhã, a primeira etapa é entre Trofa e Oliveira do Bairro. São 187,7 Km que representam a segunda quilometragem mais extensa desta prova. Surge como uma etapa propícia a tentativas de fuga.

Na segunda etapa, sábado, começam as dificuldades. A ligação entre Oliveira de Azeméis e Santo Tirso é extensa e tem seis contagens de montanha, a última das quais, de 2ª categoria, coincide com a meta no Monte Nossa Senhora da Assunção.
Logo a seguir, o pelotão tem a poderosa subida à Senhora da Graça. A tirada é curta mas o final é duro.
A quarta etapa, entre Lamego e Gouveia, é de dificuldade mediana mesmo com um ‘cheiro’ a Serra da Estrela. Antes do dia de descanso, surge a ligação tranquila entre Oliveira do Hospital e Viseu, existindo uma única contagem de montanha, de 4ª categoria.

Chega a folga, com quase 860 quilómetros já percorridos. Até que arranca, em Aveiro, a segunda metade da Volta 2011 e com a etapa mais longa, de 215,9 Km, terminando em Castelo Branco. É ali ao lado que está o difícil contra-relógio individual. São 35,5 km entre o Sabugal e a Guarda. Sem qualquer descanso, o pelotão celebra a etapa rainha, com a subida à Serra da Estrela em direcção à Torre. No sábado, 13 de Agosto, a caravana sairá de Seia e vai percorrer os principais pontos da serra, com o regresso da tradicional escalada às Penhas da Saúde pelo lado da Covilhã. Nos derradeiros quilómetros a subida continuará a será feita por Seia. Talvez aqui fique decidida a Volta.

Em todo o caso, a Covilhã acolhe a partida da penúltima etapa, em direcção à Sertã, com 182,3 Km a pedalar. A corrida termina, como é já tradição, no dia 15, com a ligação entre Sintra e Lisboa.

Equipas Participantes

TAVIRA – PRIO (Portugal) – Escalão: Continental;
BARBOT – EFAPEL (Portugal) – Escalão: Continental;
ONDA – BOAVISTA (Portugal) – Escalão: Continental;
LA ALUMÍNIOS – ANTARTE (Portugal) – Escalão: Continental;
EQUIPA NACIONAL DE PORTUGAL;
LAMPRE – ISD (Itália) – Escalão: Pro Tour;
FARNESE VINI – NERI (Itália) – Escalão: Continental Profissional;
CAJA RURAL (Espanha) – Escalão: Escalão: Continental Profissional;
ANDALUCIA – CAJA GRANADA (Espanha) – Escalão: Escalão: Continental Profissional;
KATUSHA CONTINENTAL (Rússia) – Escalão: Continental;
LA POMME DE LA MARSEILLE (França mas inscrita na Letónia) – Escalão: Continental;
CHIPOTLE – GARMIN DEVELOPMENT TEAM (Estados Unidos América) – Escalão: Continental;
KONYA TORKU – VIVELO (Turquia) – Escalão: Continental;

Os números da Volta

14 Equipas
5 Equipas portuguesas
8 Equipas estrangeiras
1 Prólogo
9 Etapas em linha
1 Contra-relógio
1 Dia de descanso
3 Metas volantes em cada etapa em linha
24 Prémios de montanha
1627 Quilómetros
215,5 Km é a distância da etapa mais longa, a 6ª, entre Aveiro e Castelo Branco