Verão quente no FC Maia (áudio)

0
240

O verão de 2010 promete ser agitado no Futebol Clube da Maia com uma assembleia-geral e eleições para a direcção à mistura. Tudo começou com uma petição de cerca de 90 sócios do Futebol Clube da Maia que exige a convocação imediata de uma Assembleia-Geral Extraordinária do clube, com o objectivo de demitir a actual comissão administrativa e consequentemente eleger uma nova comissão.

Os promotores da petição garantem que a insatisfação demonstrada pelos sócios tem subido de tom, somando um total de 90 sócios que assinaram o documento em apenas em 10 dias.
A carta registada dos sócios à mesa da assembleia aponta vários fundamentos que estão relacionados com alegada má gestão do clube, quer em termos desportivos, quer em termos económicos. Garantem mesmo que esta comissão administrativa “prejudicou deliberadamente os interesses do Futebol Clube da Maia”.
Na carta, diz-se ainda que “vários actos desta comissão administrativa, são passíveis de procedimento criminal, que qualquer associado pode individual ou colectivamente desencadear”.

Os associados dizem que há mais de dois anos que não há qualquer assembleia, mesmo tendo em conta as modificações verificadas na colectividade. “Apesar dos inúmeros e graves acontecimentos ocorridos nestes últimos dois anos, não foi convocada qualquer Assembleia-Geral, nem foi dada a palavra, ou qualquer justificação aos sócios, e acima de tudo não os deixou decidirem sobre o futuro do clube”, assinala o texto da petição.
As assinaturas vão desde ex-presidentes do Futebol Clube da Maia, incluindo José Francisco Vieira de Carvalho, até sócios fundadores, passando pelo actual sócio nº 1. Muitos outros associados deram o seu aval a este ofício.

O actual presidente do clube, António Fernando, afirma “que tomou conhecimento do documento por anteriores presidentes a quem foi pedido que o assinassem” e que “independentemente esse documento nos chegar oficialmente, será convocada uma assembleia-geral para a próxima semana”. A reunião magna foi, entretanto, convocada para o dia 16, às 21h00, no Fórum Jovem. O dirigente maiato vai ainda mais longe e sublinha que “ainda durante o mês de Julho queremos realizar eleições no clube para clarificar esta situação”, anunciou António Fernando.

Ouça a declaração:
[audio:Antonio_Fernando.mp3]

Quanto às acusações de má gestão financeira e desportiva, o presidente do Maia afirma que “são um disparate de todo o tamanho”. “As pessoas que me falaram disto conhecem a realidade do clube e sabem que, se houve má gestão, foi no passado. Hoje todos os esforços são feitos no sentido de equilibrar o mais possível as contas do clube com a enorme dificuldade que existe”, refere António Fernando. O actual presidente afirma ainda que “o anterior presidente é o principal responsável pela situação financeira do clube e não percebo as motivações dele com esta acção. Talvez queira regressar ao FC Maia”, atira António Fernando.

José Francisco Vieira de Carvalho, ex-presidente do clube, garante não ter “qualquer intenção de voltar à presidência do clube” mas não nega que “estará disponível para ajudar no que for preciso”. O anterior presidente deixa ainda muitas críticas à actual comissão administrativa: “Criaram um novo clube e passaram para lá todos os activos do FC Maia, incluindo os miúdos das camadas jovens e a escola de formação, nunca recorreram da suspensão de dois anos de que o clube foi alvo, apesar de terem afirmado que reuniam as condições para inscrever a equipa, e há dois anos que não prestam contas a ninguém. Dá a ideia que querem acabar com o clube e isso os sócios não podem deixar acontecer”, finaliza José Francisco Vieira de Carvalho.

Ouça a declaração:
[audio:Jose_Francisco.mp3]

André Cordeiro