Vitória sobre o Sousense seria “justa”

0
86

Ainda na luta pela subida de divisão, o Futebol Clube (FC) Pedras Rubras joga no domingo em casa do Sport Club (SC) Dragões Sandinenses. Nesta 21ª jornada da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto (AFP), encontram-se no Estádio do Tourão, em Vila Nova de Gaia, o 3º e o 16º classificados deste campeonato, respectivamente, com 38 e 19 pontos.

Embora os maiatos estejam em vantagem na tabela, o treinador António Monteiro reitera que “isto é um campeonato muito difícil”, seja qual for o adversário, porque são tudo equipas “aguerridas”. Umas a lutar para andar nos lugares cimeiros da classificação e outras a trabalhar contra a despromoção. Conhecido no mundo do futebol como Caneco, o técnico do FC Pedras Rubras adianta que a equipa vai para Sandim “com o pensamento de conseguir a vitória”.

Em princípio, o técnico da equipa do Aeroporto deverá ter todos os jogadores disponíveis para esta partida, à excepção de Tó, expulso aos 61 minutos da partida de domingo, em casa, com a União Desportiva (UD) Sousense. Este foi, para o treinador dos maiatos, o momento do jogo da 20ª ronda da Divisão de Honra distrital e que gerou contestação no banco da equipa da casa e na bancada. Também Caneco tem dúvidas sobre a expulsão e a marcação da grande penalidade a favor dos visitantes tendo em conta que “o árbitro assistente, que está muito melhor colocado que o árbitro, não marca nada”. Daí entender que o juiz da partida, António Alves, “se equivocou”:

[audio:SOUSENSE_CANECO.mp3]

Da primeira parte, recorda Caneco, “controlámos o jogo perfeitamente” e até “podíamos ter feito mais um ou dois golos”. Não o tendo conseguido, considera que a vitória por 1-0, ao intervalo, “era inteiramente justa”. O lance do penalty, e o golo do empate que se seguiu, acabou por “condicionar bastante a estratégia de jogo” do FC Pedras Rubras, obrigado a desviar um jogador do meio campo para central. Mesmo sabendo que no segundo tempo o Sousense, por estar a perder, “ia arriscar mais”. E aproveitou também a inferioridade numérica dos da casa, seguindo-se vários remates até ao final da partida. Mas sem alterar no marcador o empate a uma bola.

O resultado não agradou aos adeptos, que se debruçaram sobre a bancada, junto à entrada para os balneários. Mas não só aí os ânimos estavam exaltados. Também no relvado, já depois do apito final, o comportamento de alguns jogadores e o aproximar dos atletas do Sousense à equipa de arbitragem motivaram a entrada em campo dos militares da GNR destacados para o Estádio Municipal de Pedras Rubras. E acompanharam as duas equipas no regresso aos balneários.

Independentemente do resultado do passado domingo, o treinador do FC Pedras Rubras destaca a “qualidade de jogo” e a “ambição” que a equipa tem vindo a demonstrar. E assim mantém o 3º lugar da tabela, com 38 pontos, resultado de 11 vitórias, cinco empates e quatro derrotados. O Sousense, até à passada semana líder da Divisão de Honra acabou por cair para o 2º posto da tabela, ainda que com os mesmos 42 pontos que o Alpendorada.

Marta Costa