Maia assume vice presidência da Litoral Rural

0
316
- Publicidade -

O vereador da Economia da Câmara da Maia, Paulo Ramalho, vai representar o Município na Direção da Litoral Rural – Associação de Desenvolvimento Regional.

A Câmara da Maia, que integra a associação desde 2017, foi convidada a aceitar uma das vice-presidências da Direção, tendo o executivo municipal deliberado nesse sentido na sua reunião do dia 17 do passado mês de Dezembro.

De acordo com Paulo Ramalho, “o assumir em representação da Câmara Municipal um lugar na direção da Associação Litoral Rural, significa acima de tudo, assumir mais responsabilidades e novas vontades na dinamização do mundo rural, de forma partilhada e com maior proximidade do território e dos diversos atores locais”.

Esta organização, que agrega nesta altura, entre entidades públicas e privadas da região, 28 associados e 138 parceiros, era desde a sua constituição em 2015, governada por uma comissão instaladora, tem agora como presidente da direção, Carlos Duarte, em representação da Associação Leicar. Na presidência da Assembleia Geral está ainda José Capela, em representação da Cooperativa Agros e como presidente do Conselho Fiscal, Fernando Pereira, da Associação Empresarial de Matosinhos.

A Litoral Rural visa prosseguir fins de relevante interesse público local nos territórios rurais pertencentes à NUT III da Área Metropolitana do Porto, em particular dos concelhos de Matosinhos, Maia, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, Vila do Conde e Trofa. Relativamente ao concelho da Maia, são abrangidos apenas os territórios das freguesias de Folgosa, S. Pedro Fins e Castelo da Maia.

Esta associação tem por objeto social a promoção do desenvolvimento local e regional, e designadamente a dinamização do meio rural de forma integrada e sustentável, nas suas vertentes económica, social, ambiental e cultural, competindo-lhe especialmente: a promoção e divulgação dos produtos, práticas tradicionais e potencialidades locais; a promoção do Turismo, em particular no meio rural; a promoção, valorização e comercialização dos produtos agrícolas, silvícolas, piscícolas, agroalimentares e artesanais; a promoção, divulgação e recuperação do património natural, cultural e edificado; a execução de programas de formação com incidência no desenvolvimento regional; a promoção de eventos neste âmbito dos objetivos da associação; e a realização de estudos de análise, diagnóstico e levantamento das necessidades na área de intervenção da associação.

Esta associação é ainda a entidade gestora do “Grupo de Ação Local Litoral Rural”, reconhecida pelas Autoridades de Gestão do PDR2020 e PORN2020, ou seja, é a entidade gestora dos fundos alocados ao instrumento “DLBC- Desenvolvimento Local de Base Comunitária”, que visa apoiar estratégias de desenvolvimento local que promovam o empreendedorismo, a competitividade, a inovação, o emprego, a sustentabilidade e a inclusão nos territórios rurais.

A este propósito, o vereador Paulo Ramalho lembrou que a Litoral Rural “já apoiou mais de trinta projetos empresariais, alguns dos quais situados em freguesias do concelho da Maia, estando para breve o anúncio de novos avisos”.

- Publicidade -