74 empresas maiatas com acções de insolvência

0
177

Entre Janeiro e Agosto deste ano, foram 3540 as empresas com registo de acções de insolvência publicadas, o que representa um aumento de 51 por cento face a igual período de 2009. São dados do estudo de insolvências de empresas da Coface.

Cerca de 1232 empresas foram declaradas insolventes, mais 528 empresas que no ano anterior. Aqui, verificou-se um aumento de 75 por cento nos processos de insolvência declarada – acções em que o administrador de insolvência conclui que a massa insolvente é insuficiente para as custas do processo e das restantes dívidas. O distrito de Braga foi a que registou mais falências, com 254 insolvências declaradas. Segue-se o distrito do Porto com 248, tendo se registado um aumento de 16,2 por cento em relação ao mesmo período do ano passado. No concelho da Maia, verificou-se um decréscimo. Foram declaradas insolventes 13 empresas, menos três que em igual período de 2009.

Nas acções requeridas por terceiros, registou-se um crescimento de 55 por cento, ou seja, foram mais 446 as entidades que requereram a insolvência, comparando com os primeiros oito meses de 2009. O distrito do Porto lidera com 336 empresas com insolvências requeridas, mais 89 que em 2009, seguindo-se o distrito de Braga com 130. Na Maia, foram 30 as empresas com insolvência requerida por credores, cerca de 30, mais duas que nos primeiros oito meses do ano passado.

O crescimento foi menor nas acções apresentadas pelos próprios responsáveis das empresas, cerca de 25 por cento. Entre Janeiro e Agosto deste ano, 973 empresas entraram com pedidos de falência, mais 196 que no ano passado. Só no distrito do Porto foram 252 as empresas que entraram com pedidos de insolvência, mais 20 que no ano anterior. No município na Maia verificou-se também um crescimento, de 26 para 33 empresas que pediram a insolvência. Lisboa é o segundo distrito com mais pedidos de insolvência, cerca de 171.
No que se refere às empresas que apresentaram um plano de insolvência, que define as situações em que os credores aceitaram um projecto de viabilização da empresa ou a venda dos activos e a sua dissolução, apresentou um aumento de 60 por cento. Oitenta empresas tiveram um plano de insolvência, mais 30 que em 2009. Desse total, 23 situam-se no distrito do Porto. É a região que mais planos de insolvência apresentou entre Janeiro e Agosto. Na Maia apenas uma empresa apresentou um plano de insolvência. No período homólogo de 2009, foram quatro as empresas que apresentaram um projecto de viabilização.
No total geral, os distritos que apresentaram o maior número de entidades com acções registadas são o Porto (859), Lisboa (665) e Braga (571).

Os sectores de actividade em que foram registados o maior número de acções de insolvências foram a indústria transformadora (958), construção e obras públicas (651), comércio por grosso (490) e comércio a retalho (517).

Fernanda Alves