Valter Lemos considera a Frulact um “bom exemplo” (vídeo)

0
932

No último dia de visita a empresas inovadoras, que apostam em estágios profissionais e na integração de jovens trabalhadores, o Secretário de Estado do Emprego e da Formação Profissional, Valter Lemos, passou pela Maia. Foi no passado dia 22 de Fevereiro. Esteve de visita à empresa Frulact – Indústria do sector Agro-Alimentar SA, situada na zona industrial.

A empresa nasceu na Maia em 1987, e produz preparados de fruta para o mercado nacional e internacional, para as áreas dos lacticínios, bebidas e pastelaria. Possui três unidades de produção em Portugal – Maia, Ferro e Tortosendo (Covilhã), e ainda na França, Argélia e Marrocos. Afirma-se como uma empresa jovem, que aposta na inovação e na qualificação dos seus recursos humanos. E sobretudo na integração de jovens licenciados, registando uma taxa efectiva de integração de 86 por cento dos estágios profissionais. A média de idades é de 37 anos. “A qualificação dos recursos é fundamental, porque é o único capaz de nos poder elevar o nível do conhecimento e de competências internas. Por isso, temos investido fortemente na formação interna, porque entendemos que devemos permitir às pessoas que possam crescer no interior da Frulact. E temos apostado naquilo que é verdadeiramente a melhoria do rácio de elementos com formação superior”, revelou o presidente do conselho de administração, João Miranda.
Em nove anos, foram 32 os jovens que realizaram estágios profissionais, dos quais, 28 foram integrados nos quadros da empresa.

No final da visita às instalações da fábrica, Valter Lemos sublinhou a aposta do Governo na integração dos jovens no mercado do trabalho, e adiantou que o programa de estágios profissionais deverá ser alargado para 50 mil jovens em 2011. “Para se tentar fazer isso, temos de tentar perceber os bons exemplos, os sítios onde as coisas correram bem e porque é que correram bem. À semelhança da Frulact tenho encontrado empresas absolutamente extraordinárias, que fazem acreditar que nós somos um país que tem grandes empresários, muito qualificados, gente com uma capacidade de trabalho, de inovação e expectativa de futuro”, afirmou o governante.

Numa fase em que o país atravessa “algumas” dificuldades, Valter Lemos acredita que é possível dar a volta, “se o exemplo de empresas como a Frulact for alargado”. “O país é aquilo que forem as suas empresas. Sobre isso, não tenho a mínima dúvida”, salientou o secretário de Estado do Emprego e da Formação Profissional.
Outro factor que pode contribuir para a recuperação da economia nacional, é o aumento da capacidade exportadora do país, assim como, uma maior aposta na qualidade dos produtos. E aqui, “o sector primário é um dos sectores fundamentais para alcançar esse objectivo”, afirmou Valter Lemos.
Segundo o secretário de Estado, este tem sido um dos “poucos sectores em Portugal onde tem havido crescimento do emprego”. “Dá-nos a expectativa que em 2011 possa continuar nesse caminho”, acrescentou o governante.

A Frulact é actualmente, uma das cinco empresas do sector agro-alimentar com maior volume de negócios no país. “Temos um volume de negócios de 70 milhões de euros, e a nível de Portugal 32 milhões. Desses 32 milhões, exportamos 95 por cento”, referiu João Miranda, presidente do grupo.
São 233 os postos de trabalho nas três unidades de produção situadas em território nacional.

Fernanda Alves