A força de não ser

0
84

Ao ser confrontado com responsabilidades intrínsecas à minha pessoa por algum suposto clima de instabilidade dentro do CDS-PP Maia fico completamente indignado por ainda se continuar a dar ouvidos a quem quer que eu seja candidato a alguma coisa, contra a minha vontade.

Ao vir para as páginas do jornal afirmar que não sou candidato a coisíssima nenhuma espero que, todos os ventos que sopram de Leste e de Norte se calem de uma vez por todas, deixando que o partido siga o seu rumo normal de um período em que temos alguém que está demissionário e que foi responsável pelo melhor resultado do CDS-PP nos últimos vinte anos.

O rumo normal das coisas pode, perfeitamente, passar por uma lista de eventuais figuras do CDS-PP Maia que sejam “eventuais candidatos”.

O que eu não posso, nem vou permitir, é que a minha palavra de honra e o meu bom nome sejam constantemente postos em causa em atitudes dignas de alcoviteiras do reino. Ao contrário de outros, eu apenas mostro uma cara e um desígnio. E a minha cara mostrei-a ao presidente demissionário, David Tavares, ao dizer-lhe que estaria disponível para colaborar com ele se ele fosse candidato ao plenário concelhio, órgão colegial da estrutura; o meu desígnio, continuar a servir, em primeiro lugar, a pátria que me viu nascer, o concelho em que me formei como cidadão, e, em segundo lugar servir o partido que me acolheu faz agora tantos anos quantos aqueles com que me filiei.

Aos ventos que sopram de Leste ou de Norte, zurzindo e zurrando nomes em catadupa com o objectivo de destabilizar a credibilidade que o CDS-PP Maia tem enquanto instituição junto dos maiatos, a esses, sinceramente pergunto qual o interesse? Servir os interesses de alguém para que se tente um novo atentado contra o CDS-PP Maia? Já tentaram acabar connosco uma vez e não conseguiram, não vai ser agora, principalmente agora que há mais pessoas a pensar como nós, que vão conseguir.

Lamento desiludir os destabilizadores e as alcoviteiras do Reino, os profetas da desgraça e os “Velhos do Restelo”… Toda esta tacanhez não vos leva a lado nenhum e a sede de protagonismo fácil com atitudes que passam os limites do razoável só vos prejudica. O bom trabalho que tem vindo a ser feito nos últimos anos e que culminou com o arrancar de novo do nosso partido em solo maiato irá continuar. Acreditem que daqui a 4 anos ainda seremos mais! E o povo saberá distinguir quem quer o melhor para a Maia, saberá separar os que têm mérito dos profetas da desgraça, saberá quem fala verdade e quem são as alcoviteiras!

O facto de eu ter do meu lado a força de não ser coisíssima nenhuma, nem candidato a presidente do que quer que seja, permite-me vir aqui e encarar os maiatos e os militantes de frente. Espero sinceramente que o futuro Presidente do CDS-PP Maia tenha todas as condições para que possa desempenhar um excelente trabalho, seja ele quem for. Quanto a mim, Sr. Futuro Presidente, pode contar com a minha total disponibilidade para trabalhar em prol dos desígnios que mencionei em cima. Para o bem da Maia e do CDS-PP estou disponível! Disse!

José Filipe Soares