Opinião Luís Rothes em Primeira Mão, amanhã: "Perturbação política bipolar"

0
173

O executivo autárquico maiato viu aprovada, pela Assembleia Municipal da Maia, a autorização para participar no Programa de Regularização de Dívidas do Estado. O governo ajudará assim a reduzir os calotes crónicos da autarquia aos seus fornecedores. Estamos perante um facto político aparentemente surpreendente. Efectivamente, há dois anos, neste mesmo jornal, o Presidente da CMM proclamava publicamente, de uma forma eufórica, a saúde financeira da CMM: “as finanças da Maia estão bem e recomendam-se”!

(…)

É que a situação é tão difícil que, como os serviços camarários reconhecem, só o aligeiramento dos critérios de elegibilidade para candidatura a este Programa – para favorecer a liquidez das empresas, essencial nesta altura de crise – permitiu que a CMM pudesse propor-se a esta linha de financiamento.

Líder do Grupo do PS na Assembleia Municipal da Maia