Opinião Victor Dias : Tempo e espaço para crescer

0
114

Passada a azáfama eleitoral das autárquicas que deu ao PSD da Maia um alento nunca antes alcançado, as hostes partidárias reencontram a serenidade, para que os eleitos façam o seu trabalho e os militantes, mormente os que têm responsabilidades nos vários órgãos locais, aproveitem este tempo de bonança, procurando consolidar as estruturas existentes e perspectivar melhor o futuro.

Liderança

Aquele que é actualmente um dos maiores problemas recorrentes das forças partidárias e até das instituições, falo obviamente da fragilidade das lideranças, não se coloca de todo, nem no PSD local, nem na comunidade concelhia.

Por todas as razões, amplamente conhecidas, o Eng.º Bragança Fernandes é hoje um líder político forte, legitimado interna e externamente, por vários sufrágios inquestionavelmente clarificadores que não deixam qualquer margem para dúvidas.

Esta força de que se reveste a sua liderança, dá-lhe um conforto que mais nenhum político maiato logrou experimentar, permitindo-lhe gerir os destinos do partido e da comunidade concelhia, com uma margem de manobra, de tal modo alargada que se torna difícil exercer o natural e muito social democrata, direito à crítica. Esse exercício é ainda mais dificultado pelo facto de o líder ser um homem sensato, apaziguador, bom ouvinte e um decisor que gere muito bem, o tempo e o modo, qualidades intrínsecas que fazem o seu carisma.

Estas condições únicas que o PSD da Maia e em particular o seu actual líder reúnem são, a meu ver, passíveis de serem aproveitadas, para pensar e implementar um plano de expansão do partido na Maia. Um plano imprescindível, seja para manter acesa e viva a chama da militância partidária, seja para preparar o futuro.

O estado de graça do líder, cujo mérito é essencialmente devido à sua maneira de ser e se relacionar com as pessoas, factor que lhe granjeou ao longo da sua vida política, amizades e simpatias em todo o espectro social maiato, conferindo-lhe um capital de notoriedade invulgar, pode e deve ser agora colocado ao serviço da expansão e consolidação da implantação do PSD na Maia.

O Eng.º Bragança Fernandes tem o dever e a responsabilidade de abrir o partido à sociedade, de atrair e acolher novos contributos, procurando captar valorosos quadros e jovens talentos que existem na Maia, felizmente, em variadíssimas áreas.

Há na Maia muita e boa gente, com valor e competências que podem ser muito úteis á colectividade. Há inclusive pessoas com provas dadas na acção política que é preciso motivar e estimular, para que possam trazer a sua mais valia.

O PSD da Maia precisa de um gabinete de estudos que tenha um programa e projectos concretos em que possa trabalhar, envolvendo proactivamente pessoas com conhecimento e experiência, em vários domínios políticos, sociais e técnicos.

Encaro esta liderança forte do Eng.º Bragança Fernandes, como um factor altamente positivo, no entanto, é preciso que se diga, com serenidade e sem drama, que isso também encerra alguns riscos para o partido, sobretudo se o PSD da Maia se deixar adormecer à sombra dessa liderança forte, num excesso de confiança que se pode revelar muito pernicioso, ou até fatal. Convém não esquecer que a inequívoca vitória averbada nas últimas autárquicas, sendo claramente uma vitória com um rosto, teve ainda maior expressão, um pouco, graças à falta de comparência do Partido Socialista, razão reconhecida pelos próprios militantes do PS que, segundo transparece, continuam de candeias às avessas, tal foi o efeito devastador da sua calamitosa e histórica derrota, em toda a linha.

Nos próximos anos iremos certamente desfrutar de uma estabilidade política invulgar, realidade concreta que devemos estimar e preservar por todos os meios, mas sem esquecer que daqui a alguns anos, provavelmente daqui a 8 anos, o PSD ver-se-á confrontado com a necessidade de uma organização interna muito bem estruturada, de um conhecimento profundo da realidade política, social, económica e cultural, de todo o concelho e do envolvimento de militantes com vontade de tomar parte activa na vida da comunidade, seja nos órgãos autárquicos das freguesias, seja na Assembleia Municipal, no Executivo e em todas as forças vivas da sociedade maiata, afirmando os valores da social democracia, com espírito de serviço à colectividade e ao bem comum.

Respeito

O PSD da Maia obteve a maior vitória eleitoral nas eleições autárquicas de 11 de Outubro, destacando-se a nível nacional, por ocupar o primeiro lugar no pódio das vitórias alcançadas sem alianças ou coligações, facto irrefutável que, apesar disso, não mereceu da direcção nacional e dos mais destacados dirigentes, inclusive da líder, qualquer palavra de apreço ou estímulo, excepção feita pelo líder distrital que veio à Maia agradecer a estrondosa vitória, cujos efeitos se reflectiram positiva e significativamente ao nível do distrito do Porto.

Estou convicto que se conseguirmos expandir a implantação do partido na Maia, reforçando a nossa bolsa de quadros, se nos abrirmos à sociedade e conseguirmos nestes 8 anos de estabilidade que se adivinha, construir uma sede condigna, para que se possa trabalhar e acolher, com boas condições, os maiatos em geral e os militantes em particular, poderemos também encarar o futuro, com a confiança e a serenidade de quem o soube preparar, aproveitando a seu favor, o tempo e a unidade proporcionada por uma liderança que é em si mesma, o principal factor de estabilidade. Crescendo a nível local, reforçaremos o nosso peso específico a nível distrital e teremos as melhores condições para exigir, nos órgãos nacionais, respeito, consideração e a representatividade que nos caberá, de facto e de direito.

Se o nosso actual líder envolver a sua equipa da CPC, num projecto estimulante e mobilizador que eleja como objectivo central a expansão das bases do partido, procurando cobrir todos os sectores da sociedade, através da promoção de várias acções de natureza política e social, verá com toda a certeza, o partido crescer e consolidar a sua expressão no concelho e, por consequência desse seu desígnio, verá ainda mais reforçada a sua liderança, hoje e no futuro.

Victor Dias